19.9 C
Vitória
quinta-feira, 9 dezembro 2021

CPI: Depoimento de Francisco Araújo Filho é antecipado para esta quinta

Depoimento do ex-secretário de saúde estava marcado para sexta-feira, dia 3

Por Matheus de Souza e Sofia Aguiar (Agência Estado)

Após uma manhã de incertezas, a cúpula da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid decidiu antecipar para esta quinta-feira (2) o depoimento do ex-secretário de saúde do Distrito Federal Francisco Araújo Filho antes marcado para sexta-feira, dia 3. A informação foi passada ao Broadcast Político, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, pela assessoria do vice-presidente do colegiado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Em entrevista coletiva, o senador Alessandro Vieira (Cidadania -SE) confirmou que o dia será dedicado à oitiva do ex-secretário, que acontecerá após a reunião da cúpula da CPI. Viera também afirmou que uma parte da sessão será dedicada a votação e aprovação de requerimentos, entre eles podem estar, segundo ele, o requerimento de “condução coercitiva” de Marconny Nunes Ribeiro Albernaz de Faria, apontado como intermediador da Precisa Medicamentos para a venda de vacinas Covaxin ao Ministério da Saúde.

Ele deveria ter se apresentado hoje ao Senado para sua oitiva, mas não compareceu e é procurado pela cúpula da CPI para o depoimento. Nesta manhã, Randolfe afirmou que, se Faria não for localizado, seria requisitada sua prisão preventiva. Randolfe ressaltou que o pedido de prisão preventiva foi feito por ele, não sendo uma posição da CPI. O requerimento de sua prisão preventiva também deve ser votado nesta quinta.

‘Medo’

“Anunciei que a #CPIdaCovid está encaminhando medidas judiciais para garantir a presença de Marconny Albernaz. É muito medo de depor para quem alega inocência.” A frase é do senador Rogério Carvalho (PT-SE) em publicação no Twitter, sobre a ausência de Marconny Faria ao depoimento de hoje à CPI.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se