19.9 C
Vitória
sexta-feira, 18 junho 2021

Covid-19: Entrevistados afirmam aprimoramento da fé

Estudo ouviu pessoas de 14 países. Em 11 deles, os entrevistados afirmaram que a fé religiosa se fortaleceu

Por Keila Lopes 

A Covid-19 trouxe uma mudança radical no comportamento das pessoas devido a necessidade de reclusão em suas casas. O confinamento também colocou fiéis, acostumados com a comunhão dos cultos, fora dos templos.

Há de se esperar que a comunhão entre os escolhidos de Deus, é saudável, e o congregar promove o aquecimento da fé. Porém, com todo o período de quarentena, o resultado tem sido pessoas adoecidas e tristes em decorrência do afastamento.

Mas este cenário vai um pouco além. É o que explica uma pesquisa em 14 países. O estudo ouviu pessoas da Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Japão, Holanda, Espanha, Coreia do Sul, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos.

Aumento da fé na pandemia

“Em 11 dos 14 países pesquisados, a proporção dos que afirmam que sua fé religiosa se fortaleceu é maior do que os que se consideraram enfraquecidos”, observaram os pesquisadores da Pew. “Mas, geralmente, as pessoas nos países desenvolvidos não vêem muita mudança em sua própria fé religiosa como resultado da pandemia.”

A pesquisa global contou com a participação de mais de 14.000 pessoas e descobriu que poucos perderam a fé, enquanto muitos dos  fiéis ganharam. No geral, uma média de 4 em cada 5 cidadãos de cada país disse que sua fé estava mais ou menos inalterada.

Os que se consideraram com a fé fortalecida foram os moradores dos Estados Unidos. Já a população da Coreia do Sul, afirmou ter perdido a fé.

A Pew observou que “todos os países pesquisados ​​estavam sob distanciamento social ou ordens de bloqueio nacional devido ao Covid-19”. No entanto, “nem todos os países experimentaram a doença da mesma maneira” e a situação de pandemia “mudou substancialmente desde que a pesquisa foi realizada”.

Cerca de um terço dos americanos acredita que a pandemia oferece uma lição para a humanidade enviada por Deus (35%), de acordo com uma pesquisa anterior do Pew. Uma parcela semelhante (37%) acredita que há uma lição a aprender, mas não foi enviada por Deus.

 

Os entrevistados responderam também que a pandemia fortaleceu os relacionamentos familiares. Como resultado de aproximação, a presença das igrejas na internet contribuiu para que não houvesse um afastamento total, mas a adaptação ao chamado “novo normal”, ainda é algo que precisa ser adaptado à rotina das famílias.


*Com informações, Christianity Today

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se