30.1 C
Vitória
segunda-feira, 24 janeiro 2022

Covid-19: Alegria em meio à crise, mesmo com a perseguição

covid_Indonésia
A pequena Trinity escreve no desenho: “definitivamente, podemos combater o coronavírus”. Foto: Portas Abertas

Além de extrema perseguição e pressão constantes, cristãos perseguidos enfrentam crise pandêmica, mas dão lição de fé e alegria

Alegria em meio a crise. E vem da Igreja perseguida na Indonésia. Trata-se de Trinity, 7 anos, e sua mãe, Sarinah. A criança foi uma das vítimas do atentado a bomba a uma igreja em Samarinda, em 2016. Está em tratamento avançado em Guangzhou, China, desde setembro de 2017.

Como o intervalo entre uma cirurgia e outra é de cerca de três meses, elas voltavam para a Indonésia nesse tempo. Acompanhada pela mãe, Trinity já viajou várias vezes entre a Indonésia e a China devido ao tratamento. Mas desde meados de 2018, Sarinah decidiu ficar só na China pelo bem da filha, pois na Indonésia havia menos recursos para fazer o acompanhamento do tratamento nos intervalos.

Quando a COVID-19 eclodiu em Wuhan, a família, que mora em um pequeno apartamento, também foi afetada. “Estamos no apartamento há meses. A Trinity estuda em casa e também cultuamos em casa. Quanto ao tratamento, o médico entrará em contato conosco para definir o próximo cronograma de operação. Nós saímos apenas para comprar mantimentos ou brincar por um tempo, para nos refresca”, disse Sarinah.

A mãe continua explicando como tem lidado com a quarentena: “É uma situação desafiadora. Sentimos muita falta da nossa família, mas não podemos voltar para a Indonésia. Estamos nos regozijando no Senhor e esperamos que a situação melhore e prossiga para o próximo tratamento. Somos gratos por muitas pessoas terem demonstrado carinho a nós”, relatou.

Apoio espiritual

A Portas Abertas tem apoiado a família de Trinity espiritual e financeiramente. No ano passado, pela terceira vez, a organização enviou ajuda socioeconômica à família para ajudar nos custos dos tratamentos na China.

Sarinah explica ao correspondente da Portas Abertas no país que as contribuições tem alegrado o coração de toda a família. “Só temos a agradecer por essa parceria. Vocês sempre estiveram conosco desde o início. Agora, com o confinamento, é ainda mais difícil para vocês, mas fiquem firmes. Estamos orando por todos os parceiros da Portas Abertas em todo o mundo”, disse ela. E a pequena Trinity acrescentou: “Fique em casa e fique seguro. Definitivamente, podemos combater o coronavírus”.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se