“Tomei a pílula de Deus, agora sou cristão”

Foto: Reprodução

A declaração é do youtuber irlandês, Dave Cullen, que era ateu e se converteu ao cristianismo. Ele contou a sua história em vídeo. Confira!

Dave Cullen, mais conhecido como Computing Forever, é um blogueiro irlandês popular. Seus vídeos do YouTube foram vistos mais de 90 milhões de vezes. Na semana passada, ele postou um vídeo anunciando sua conversão ao cristianismo, intitulado “Redescobrindo a fé: minha jornada de volta ao cristianismo”.

Veja o que ele disse

“Quando você toma a pílula vermelha metafórica, percebe o quanto foi mentido para toda a sua vida. Você descobre que foi alimentado com uma ideologia, perpetuada por narrativas preconceituosas e giros. Você começa a discernir a verdade da ilusão e rejeita a programação com a qual eles tentaram doutriná-lo.

A pílula negra é onde você desce mais a toca do coelho e aprende o quão ruim as coisas se tornaram. É onde as conseqüências do mal se tornam verdadeiramente aparentes. É também o ponto em que você começa a sentir um grau de desesperança e desânimo. Este é o ponto do fundo do poço.

Mas, felizmente, a partir daí, o único caminho é para cima. As coisas podem parecer sombrias, mas é virtualmente impossível ficar por muito tempo com o black-pilled. É simplesmente muito difícil nutrir o niilismo ou o desespero por longos períodos de tempo. Eventualmente, um apetite por esperança, otimismo e significado começa a se desenvolver. A alma requer nutrição.

Digite a pílula branca, também conhecida como a pílula de Deus. Você começa a desejar ação, ordem, propósito e uma semelhança de valores em sua vida. O mundo pode estar ficando louco, mas você não vai. Os mesmos valores que foram retirados das nações ocidentais pela esquerda nos últimos 50 anos, gradualmente começam a fazer sentido”.

Ateísmo

Os pais de Dave Cullen eram católicos devotos e bem conservadores. Mas aos 13 anos, Dave virou ateu. “Quando entrei na minha adolescência, comecei a me tornar mais liberal. Eu acreditava que poderia ter todas as respostas – que a ciência e o secularismo eram substitutos adequados para religião e fé”, contou.

No depoimento, o youtuber conta que à medida que envelhecia, começou a perceber que a sabedoria de pais baseava-se em algo atemporal. E que os ensinamentos de Cristo eram um conjunto de regras e instruções essencial na construção e manutenção da civilização ocidental.

E sobre ciência e fé, ele argumentou. “A ciência é o meio pelo qual entendemos o mundo físico ao nosso redor. Não é o meio pelo qual derivamos nossa moralidade. Para isso precisamos de filosofia, metafísica, religião.

Os seres humanos precisam de histórias, instruções e parábolas relatáveis, a fim de desenvolver uma estrutura moral e ética para viver. A ciência e a religião não estão realmente em conflito, como alguns ateus acreditam. Um é o meio pelo qual entendemos o mundo físico ao nosso redor. O outro é o meio pelo qual derivamos significado e instrução moral”.

As nações precisam de religião?

Quando uma era de decadência é alcançada em uma sociedade, segue-se uma era de liberalismo. Quando você tira Deus da equação, o homem tenta se tornar Deus.

Comecei a perceber que as nações e até os impérios que perdem a religião tendem a entrar em colapso dentro de algumas gerações.

O comunismo, que mais uma vez está tentando se infiltrar em todas as facetas da nossa cultura e comprometer nossas instituições na forma de globalismo, acredita que o estado é Deus, que pode ser mãe e pai de um proletariado infantilizado, impotente e empobrecido. Tudo o que a esquerda fez foi uma tentativa gradual de afastar as pessoas de quem e do que elas são e de onde vieram.

O cristianismo celebra a importância vital da unidade familiar, a defesa mais poderosa contra um estado autoritário. No cristianismo, os papéis de homens e mulheres são claramente definidos, com grande respeito aos papéis únicos da mãe e do pai e à importância de criar os filhos em um conjunto de valores compartilhados por outros membros de nossa fé. O aspecto de construção da comunidade do serviço religioso assegura que todos saibam que fazem parte de algo maior que eles mesmos, que há uma autoridade além de um político eleito democraticamente no cargo. É assim que um estado-nação é mantido – reconhecendo o valor da família.

Não é difícil entender por que os marxistas culturais esquerdistas atacaram a religião e a família a cada passo. A subversão da América, como muitas nações ocidentais, tem promovido o hedonismo, a sexualidade, as drogas e a obsessão pelo materialismo, direitos individuais e individualismo, qualquer coisa que afaste as pessoas do cristianismo, estabelecendo-se, criando uma família e criando seus filhos. o sistema de valores de seus ancestrais.

Perdendo a história

Para Dave, nas nações cristãs, a história da origem de nossa cultura é o nascimento de Cristo.

“Mesmo que você não seja religioso, não leve as histórias de Jesus literalmente, provavelmente você pode reconhecer que uma história de origem sobre o nascimento de um filho e um salvador, nascido para trazer paz ao mundo, é uma mensagem poderosa e um símbolo de esperança para as futuras gerações. Mas se as pessoas são encorajadas a se afastar do cristianismo, então elas perdem o apego a essa história. É substituído por um foco nos piores momentos da nossa história”.

Segundo ele, nos cursos universitários infestados pela justiça social nos Estados Unidos, os jovens americanos sofrem lavagem cerebral em auto-aversão, são encorajados a se sentirem culpados pelas atrocidades cometidas por seus ancestrais desde centenas de anos atrás. O mesmo acontece com muitas nações européias.

“Embora a promoção da ideologia da esquerda seja, em última análise, sobre o poder, também não é tão simples quanto um ataque direto ao conservadorismo. “É um ataque ao cristianismo que remonta à crucifixão de Cristo, afastando as pessoas de sua herança e valores cristãos, desconectando as pessoas de Deus e tornando-as dóceis e complacentes, promovendo distrações que aplacam as massas – consumismo, pornografia, sexo, gratificação instantânea, drogas e materialismo”, argumentou.

‘Não nos deixes cair em tentação’

Quando a mãe morreu, um vazio prevaleceu. “Desde a sua morte, é como se algo ressoasse em mim que não existia antes. É como se, quando ela saiu, a porta para algum outro lugar ficasse entreaberta, larga o suficiente para que algum tipo de luz passasse.

Ajoelhei-me uma noite e, pela primeira vez, em muitos anos, orei ao Senhor. Eu disse o “Pai Nosso, muitas vezes quando criança, repeti-o como um mantra – palavras que nunca significaram nada para mim. Mas desta vez, de repente, algo mudou quando cheguei à linha, não nos levar à tentação, mas nos livrar do mal”.

E acrescentou: “De repente, pela primeira vez, tendo em conta tudo o que eu estava testemunhando no mundo, eu pude entender o contexto de por que essa oração havia sido escrita dessa maneira particular”.

Agora, essas palavras dessa oração começaram a fazer sentido. “Não nos deixe cair em tentação, mas nos livre do mal.” Se um órgão do corpo ou de uma célula é danificado, se parte de nós está morrendo, o resto do corpo sofre. Se uma grande parte dos indivíduos em nossa sociedade está sucumbindo a um caminho autodestrutivo, a sociedade sofre como um todo. Ironicamente, as pessoas estão sendo vendidas como liberdade.

Agora, acredito que o maior ato de desafio que podemos fazer contra o globalismo é divulgar os ensinamentos de Jesus Cristo.

“Quando eu orei a Deus, eu disse: ‘Eu mudarei mesmo que não tenha resposta’. Porque as palavras de Jesus fazem mais sentido para mim agora, dado o estado do nosso mundo.

Porque acredito

Quando entendeu a verdade e reconheceu a soberania de Cristo.

“Em algum momento, parei de acreditar em nada. Porque simplesmente há muita ordem no universo. Muitos sinais reveladores de propósito e intenção na realidade para eu ignorar a possibilidade de que alguma mão-guia estivesse por trás de tudo isso. O universo começou com as primeiras partículas subatômicas e, finalmente, a formação de átomos e elementos leves. Em pouco tempo, densas concentrações de gases e nuvens moleculares formaram as primeiras estrelas. Planetas se formaram milhões de anos depois. Desde o começo, o universo está ocupado fazendo coisas, criando coisas e criando uma complexidade cada vez maior.

Eu acredito que devemos orar por nossos inimigos, pois eles “não sabem o que fazem”. Todos nós finalmente responderemos à mesma autoridade no final. Nossos inimigos podem esperar pela nossa destruição. Mas nós não oramos pelos deles. Fazer isso não nos faria diferente deles. Por isso, oramos para que possam ser salvos do mal a que sucumbiram.

Acredito que aqueles que perdemos nunca nos deixaram verdadeiramente, que se tornaram parte de algo maior e mais poderoso do que qualquer homem que fez o mal em nosso mundo. Acredito que este poder é uma força benevolente e unificadora que governa todas as coisas em nosso universo, e procura nos fornecer os meios para nos salvar da fragilidade e condenação humanas. Acredito que dentro desta força, encontraremos nossa salvação e paz e que, se colocarmos nossa fé nesse poder, isso não nos levará à tentação, mas nos livrará do mal para sempre. Um homem”.


Leia mais

Autor de “Em Defesa de Cristo” fala sobre sua conversão