Culpa, vergonha e consequência: “Tem cura!”

Foto: Renato Cabrini

Essa foi a temática discutida no 11º Congresso Nacional de Cura Interior em Vitória (ES). Cristãos de várias partes do Brasil se reuniram para debater a cura para a alma ferida

A capital do Espírito Santo recebeu cristãos de várias partes do país para o Congresso Nacional de Cura Interior. “Culpa, vergonha e consequência” foi o tema desta edição. Realizado pelo Ministério Bálsamo de Gileade, de Vitória (ES), há 11 anos, o encontro tem o objetivo de trazer um despertamento espiritual para os problemas da alma.

“Deus se preocupa com o homem como um todo, e quer vê-lo bem não só no espírito, mas também na alma e no corpo. ‘Culpa, vergonha e consequência’ acompanha o homem desde os primórdios de todas as civilizações. Hoje tem muita gente doente que não sabe lidar com a culpa. Esperamos que Deus se revele em curar essa dor na alma da nossa geração”, disse pastor Jucimar Ramos, presidente do Ministério Bálsamo de Gileade.

Além do tema principal do Congresso, os participantes tiveram mais de 20 opções de oficinas com temáticas específicas sobre o assunto. Entre elas ‘Compreendendo o sofrimento humano’, ‘Resolvendo a orfandade’, ‘Livres em Jesus’, ‘Enfrentando a dor e curando a ferida’.

“A sociedade grita por socorro e nós pastores precisamos estar preparados para receber as pessoas com feridas na alma, por isso é tão bom aprender, compartilhar experiências para poder cuidar do outro. Também entendemos que não podemos ministrar cura se não formos curados”, afirmou o casal de pastores Edilton e Eli Pereira, da Igreja Apostólica da Graça, de Porto Seguro (BA).

Foto: Priscilla Cerqueira

Os dois tem 20 anos de pastoreio, mas há pouco mais de um ano implantou na igreja o programa de “Cura interior”, do Ministério Bálsamo de Gileade para seus membros por conta da necessidade. Eles relatam que tem tido grandes resultados, até mesmo no ministério deles.

“Em várias situações em nosso pastoreio não conseguíamos respostas. Aqui aprendemos como resolver. O Senhor nos mostrou o Bálsamo quando estávamos preparados para receber. A cada vez que participamos do Congresso aprendemos mais e ficamos ainda mais seguros de nosso papel de ajudar as pessoas. O Congresso tem nos abençoado muito”, declarou a pastora.

Existe Cura

Além de um despertamento espiritual, o Congresso traz ferramentas e desafios para enfrentar as feridas e que existe cura. Até mesmo líderes de ministérios já experimentaram a como é se libertar de problemas e sofrimentos da alma. E hoje podem ajudar outras pessoas com a mesma situação.

Foto: Priscilla Cerqueira

“Saio do Congresso renovada e pronta para repassar meus conhecimentos e ajudar outras pessoas a alcançar a misericórdia de Deus. Isso é o mais importante. O encontro que temos aqui traz aprendizado, reforço e ao mesmo tempo, comunhão com os irmãos.

Outro ponto é a transformação. “Eu mesma sou uma mulher completamente diferente depois que fiz o programa de Cura Interior. Sofri abuso na infância, curei do trauma que tinha e hoje sou bênção na vida de outras pessoas.

Eu fiz da minha dor o meu ministério”, contou a pastora Ana Maria Machado, da Igreja de Deus, do Rio de Janeiro.

Se tem cura, libertação e transformação, tem também um alerta para a igreja. Alma machucada, ferida e aflita é comum dentro das igrejas evangélicas. “Quem procura Jesus é quem está com problemas”, pontou o pastor Geraldo Pereira, da Igreja Apostólica da Graça, de Belo Horizonte (MG). Ele alega que 80% das necessidades das pessoas estão relacionadas à alma. Por isso a necessidade da Igreja estar preparada.

Foto: Priscilla Cerqueira

“Esse Congresso alimenta em nós a compaixão pelas pessoas, nos faz entender a dor, a necessidade e a realidade delas.

O desafio da igreja é amar, cuidar, servir e proteger as pessoas como filhos. Por isso a instituição religiosa precisa ser pastores pais.

A ênfase do Congresso nada mais é que a misericórdia, que implica em transformar o nosso coração”, explicou.

Parceria

Nesta edição do Congresso o governo do Espírito Santo esteve representado pela primeira vez, através da vice-governadora Jacqueline Moraes. À Comunhão, ela destacou a necessidade de ampliar o conhecimento sobre o tema, já que também vem falado sobre o empreendedorismo emocional da mulher.

“A nossa participação é por uma busca para ampliar o aprendizado sobre o assunto, pois entendemos que a cura interior passa pela cura da alma, que geram doenças que refletem no corpo e na mente das pessoas. Já temos falado sobre o empreendedorismo  emocional da mulher, pois entendemos que ela precisa estar fortalecida para abraçar qualquer tipo de empreendimento. Esse fortalecimento vem de dentro para fora, que nada mais é que lidar com suas curas emocionais, as cicatrizes e as frustrações. Esse evento prepara líderes. Eu quero apoiar isso para estar preparada a cada dia”, disse.

Confira a galeria de fotos do Congresso


Leia mais

“Deus me colocou aqui com um propósito”
Dor, alma e despertamento no Congresso de Cura interior