back to top
25.9 C
Vitória
quinta-feira, 20 junho 2024

Conflito no Iêmen já matou mais de 11 mil crianças desde 2015, diz Unicef

Outras centenas de milhares de crianças permanecem em risco de morte por doenças evitáveis ​​ou fome

Por Lilia Barros

Mais de 11.000 crianças foram mortas ou feridas no conflito no Iêmen desde 2015, de acordo com um balanço da Unicef, o Fundo de Emergência para Crianças da Organização das Nações Unidas (ONU).

Forças do país, que lutam contra os Houthis apoiadas pela Arábia Saudita, precisam pedir uma trégua para que ajuda humanitária possa chegar.

O país vive um conflito interno desde 2015 entre forças do governo, apoiadas pela Arábia Saudita, e os Houthis, alinhados ao Irã. Uma trégua havia sido acordada entre os dois lados, mas expirou no início de outubro e, desde então, a situação voltou a se intensificar.

- Continua após a publicidade -

“A renovação urgente da trégua seria um primeiro passo positivo que permitiria o acesso humanitário crítico”, disse a diretora-executiva do Unicef ,Catherine Russell.

Número pode ser maior

A agência, no entanto, apontou que o número divulgado no estudo é, provavelmente, “muito maior”, já que as mortes contabilizadas no levantamento são apenas as que a ONU conseguiu verificar.

Embora os lados em conflito tenham concordado em abril com uma trégua nacional, o Unicef ​​disse que 164 pessoas foram mortas ou feridas por minas terrestres e munições não detonadas entre julho e setembro, entre as quais pelo menos 74 eram crianças.

A Unicef lançou na semana passada um apelo para arrecadar US$ 10,3 bilhões (cerca de R$ 55 bilhões) para ajudar crianças afetadas por conflitos e desastres em todo o mundo em 2023. Só para o Iêmen, seriam destinados cerca de US$ 484,5 milhões (R$ 2,58 bilhões) ao longo do ano.

Conflito no Iêmen já matou mais de 11 mil crianças desde 2015, diz Unicef
Crianças mortas, mutiladas, doentes no Iêmem. Foto: BBC News

Fome e doenças

Segundo a Unicef, cerca de três quartos da população do país precisa de assistência e proteção.

“Milhares de crianças perderam suas vidas, centenas de milhares permanecem em risco de morte por doenças evitáveis ​​ou fome”, disse Russell.

A Unicef estima que quase 540.000 crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição aguda grave no Iêmen.

Ele observou que mais de 17,8 milhões de iemenitas também carecem de acesso a água potável, saneamento e serviços de higiene, já que apenas metade das instalações de saúde do país está funcionando. Isso deixa cerca de 10 milhões de crianças sem acesso adequado a cuidados, afirmou.

A ONU e parceiros pediram, no início deste mês, que governos doem algo em torno de US$ 51,5 bilhões (cerca de R$ 265 bilhões) de ajuda total para 2023, um aumento de 25% em relação a 2022 e mais de cinco vezes o valor solicitado há uma década. 

Com informações Globo.com

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -