21.9 C
Vitória
domingo, 24 outubro 2021

Confederação israelita repudia ‘comparação indevida’ feita por Renan em CPI

A comparação irritou membros governistas da CPI, entre eles, o senador Fernando Bezerra (MDB-PE), Marcos Rogério (DEM-RO), Luis Carlos Heinze (PP-RS) e o filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ)

Por Pedro Caramuru (AE)

A Confederação Israelita do Brasil (Conib), em nota, disse repudiar “mais uma vez comparações completamente indevidas do momento atual” com “os trágicos episódios do nazismo que culminaram no extermínio de 6 milhões de judeus no Holocausto”.

Na manhã desta terça-feira, o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), comparou as funções e responsabilidades do colegiado ao Tribunal de Nuremberg. Segundo o senador, “um dos julgamentos mais famosos da história” e onde “o mundo procurou encontrar respostas para um crime até hoje inconcebível, o genocídio de seis milhões de judeus nos campos de concentração do regime nazista”.

A comparação irritou membros governistas da CPI, entre eles, o senador Fernando Bezerra (MDB-PE), Marcos Rogério (DEM-RO), Luis Carlos Heinze (PP-RS) e o filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Para a confederação, “estas comparações, muitas vezes com fins políticos, são um desrespeito à memória das vítimas do Holocausto e de seus descendentes”. Atualmente, a Conib mantém no ar a campanha “Não compare o incomparável” a fim de desestimular a banalização do Holocausto.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se