Comunitá Rio: Missões na Rocinha

Crianças do projeto na Rocinha participam de várias atividades. Foto: Notícias Adventistas

Projeto Comunitá Rio, mantido por voluntários da Igreja Adventista na Rocinha e Vidigal já beneficiou 3 mil crianças

Há mais de uma década, o projeto Comunitá Rio ajuda crianças e adolescentes na favela da Rocinha, a maior comunidade da América Latina. O projeto é desenvolvido por Gabriela e Harrison Marques, voluntários da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O casal não tem filhos e cuida das crianças e adolescentes como se fossem seus.

O Comunitá Rio também atende no Vidigal. Atualmente, são assistidas cerca de 200 crianças e adolescentes, com idades entre 3 e 16 anos, com a ajuda de aproximadamente 15 voluntários.

São vários cursos oferecidos. Língua Brasileira de Sinais (Libras), reforço escolar, inglês, musical (violão, violino, flauta doce e canto coral) e esportiva (tchouckball e vôlei). Alguns alunos que se formam e atingem a idade de 16 anos passam a ajudar como monitores no projeto, e tornam-se mentores dos outros beneficiados.

Outra atividade desenvolvida com juvenis acima de 10 anos é o Clube de Desbravadores, que tem reuniões aos sábados à tarde e domingos. O clube chama-se Comunitá-Rocinha e tem aproximadamente 50 integrantes.

Gabriela, Elaine e Harrison são voluntários no Comunitá Rio (Foto: Divulgação)

Gabriela destaca que “o projeto existe para fazer a diferença na vida das crianças. Perto de três 3 mil delas já devem ter passado por nossas mãos e eu me sinto honrada e feliz por fazer parte da vida delas. Isso é mágico!”.

Ela tinha uma clínica de estética em Copacabana e quando o projeto foi crescendo, precisou decidir o que deveria fazer.

“O coração falou mais alto. Gostava muito da minha clínica, mas amo estar com as crianças. Tive que escolher apenas um, pois ficou complicado conciliar a administração da empresa e da ONG”, relembra a administradora.

De aluna a professora

Elaine Gomes de Souza, 26 anos, foi aluna do projeto por cerca de 7 anos. Depois começou a ajudar como monitora. Ela é graduada em Relações Humanas e fez dois anos de Libras no Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines).

No entanto, seu coração continua ligada à iniciativa, onde ela dá aulas de Libras aos sábados à tarde há quase 10 anos.

“Agora é a minha vez de ajudar as crianças que estão no projeto, onde um dia eu também fui aluna. Lá eu me apaixonei por Libras e quero fazer uma pós nesta área para ser instrutora. O projeto para mim é uma família, onde encontro amor, carinho, afeto e aperfeiçoamento pessoal e profissional”, destacou.

Coral Teen. Foto: Notícias Adventistas
Projeto e escola

Há vários anos, a Escola Municipal Abelardo Chacrinha Barbosa tem parceria com o Projeto Comunitá Rio. Em algumas turmas foi acrescentada a disciplina Canto Coral. Além das aulas, a professora visita os alunos em casa e consegue cesta de alimentos, bolsa escolar, inclusive casamentos.

“A escola ficou apaixonada pela programação. Gabriela expandiu horizontes e quebrou barreiras, levando para fora da escola, no prédio da Igreja, aulas de reforço escolar, canto, Libras, coral. Foi uma surpresa boa!”, enfatiza Claudia Maria Gonzalez de Sá, diretora da escola Abelardo C. Barbosa.

A Escola atende alunos da educação infantil, dos 3 anos e 9 meses até os 13 anos. Segundo as diretoras, o voluntariado que o Projeto apresenta na Rocinha se multiplica. E causa um impacto positivo dentro da comunidade.

“Por ser Rocinha, uma comunidade que gera impacto e notícia, muitos surgem e desaparecem, sem dizer tchau, sem um verdadeiro envolvimento com as pessoas, como um todo. Diferente da Gabriela, seu esposo e sua equipe”, pontua Márcia Helena Figueiredo de Barros, diretor adjunta.

*Com informações de Notícias Adventistas


leia mais

Pastor volta as origens onde foi resgatado das droga
Missões – A “Jovem mãe” da Cracolândia