27.9 C
Vitória
domingo, 20 setembro 2020

De comunicador e louco, todo mundo tem um pouco

Leia também

Anvisa autoriza que Pfizer dobre número de voluntários em testes para vacina

O laboratório informou que vai expandir o número de participantes do estudo para a vacina, chegando a cerca de 44 mil participantes

Fumaça do Pantanal que chega a SP pode agravar casos de doenças respiratórias

Outra recomendação que Cardenuto indica é a de evitar aglomerações, uma medida que já deveria ser cumprida em função do novo coronavírus

Lava Jato denuncia Cabral e Bezerra por propinas em contratos do DER

Segundo a peça, registros contábeis apreendidos com o operador de Cabral na Calicute mostram que Maciste efetuou, entre 2011 e 2017

Um dos maiores erros que os líderes de empresas podem cometer é a má utilização do Departamento de Comunicações (ou da Assessoria de Comunicação, como queiram). Esse setor ainda novo, que gera custos às corporações, vem sendo usado de forma invertida e incorreta.

Trago um exemplo para ilustrar o que acabo de dizer. Quando alguém vai ao médico, jamais chega falando: “Caro doutor, eu estou com tal doença e quero que você me receite tal remédio”. O que normalmente acontece é: o médico examina esse alguém, explica-lhe o problema e, por fim, indica o medicamento que este deve fazer uso. A pessoa confia no diagnóstico médico, porque sabe que esse profissional se dedicou anos a fio estudando doenças, remédios e tratamentos, o que lhe dá autoridade para decidir qual é o melhor caminho para a cura.

Todavia, quando o assunto é comunicação, geralmente, são os líderes das empresas que dizem aos comunicadores o que estes devem fazer. Os assessores de comunicação são chamados apenas para receber orientações do tipo: “Olha, nós estamos com as vendas em baixa; então, vocês devem tomar tal e tal atitude comunicativa”. Esses líderes, na verdade, deveriam dizer: “Caro comunicador, eu estou vendendo pouco e preciso de uma estratégia comunicativa para reverter esse quadro. O que você me sugere?”.

Os líderes de empresas precisam estar cientes de que, tal qual os médicos, os comunicadores também gastaram anos de suas vidas em uma faculdade, estudando e adquirindo experiência na área comunicativa e de marketing, e isso lhes habilita a indicar o melhor veículo a ser utilizado – se TV, rádio, internet, fôlderes –, bem como apontar a melhor estratégia comunicativa – fazer uma campanha, melhorar o produto, mexer nos preços, etc. Infelizmente, o ditado “De médico e louco, todo mundo tem um pouco” – praticamente extinto entre os que confiam nos médicos – parece que ultimamente também tem se aplicado à área da comunicação: “De comunicador e louco, todo mundo tem um pouco”.

Os comunicadores de uma empresa não devem ser os últimos a saber sobre quais rumos a corporação está tomando; devem, ao contrário, ser os primeiros. Aliás, o ideal mesmo seria que esses comunicadores participassem de reuniões decisivas. Assim, eles poderiam “avaliar” como as medidas tomadas podem alcançar a quem é de direito. Um líder pode tomar a decisão mais acertada do mundo, mas se ele a comunica pelos canais errados e de forma inapropriada, correrá o risco de fracassar ou de obter um resultado abaixo do esperado. Por isso, a pergunta que todo líder deve fazer é: “Caro comunicador, qual é a melhor forma de tal decisão atingir o público pretendido?”.

Muitos líderes, portanto, precisam repensar suas atitudes e tomar uma nova postura em relação aos seus Departamentos de Comunicação. Os comunicadores não podem ser vistos como meros “cumpridores da vontade de seus chefes”. Assim como os administradores e os contadores de uma empresa são consultados antes de alguma decisão, os comunicadores também precisam ser ouvidos e chamados a opinar. Corporações, sejam elas públicas, privadas ou religiosas, que entendem esse conceito, caminham a passos largos, comunicando claramente os seus ideais. Quem tem ouvidos, ouça!


Atilano Muradas é jornalista, teólogo, escritor e compositor. Possui oito CDs gravados e quatro livros publicados pelas editoras Betânia, Vida e Muradas. Em 2004, recebeu o Prêmio Areté. Morou por sete anos nos EUA, onde atuou como pastor, jornalista e músico e, atualmente, reside em Belo Horizonte. É pastor na Igreja Batista Getsêmani, de onde viaja para cumprir agendas de apresentações e palestras no Brasil e no exterior.

Site: www.atilanomuradas.com

 

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Edição 275

O caso da menina de 10 anos que engravidou após ser violentada por um tio em São Mateus, interior do Espírito Santo e teve o aborto autorizado pela justiça, chamou atenção para a triste estatística de casos de abuso sexual em crianças no Brasil. E a igreja diante disso?

Suicídio: conscientizar para salvar vidas

Estatísticas da OMS apontam que tirar a própria vida é um caso de saúde pública. Saiba mais!

Ao lado de líderes do governo, Maia diz que vai trabalhar por manutenção de veto

Para o presidente da Câmara, o encontro com líderes serviu para mostrar a responsabilidade dos congressistas com o País

Edição 274

Ansiedade Mãos trêmulas, boca seca, palpitação no coração, fala apressada, dificuldade para dormir, você sofre de ansiedade? Especialistas ouvidos por Comunhão explicam que essa preocupação...

IBGE: Com flexibilização, pandemia não é mais impeditivo para procurar trabalho

O País tinha 38,5 milhões de pessoas desempregadas ou inativas que gostariam de trabalhar em junho

Edição 273

Pesquisa Pesquisa revela o que líderes e pastores pensam como será a fé após a pandemia. A tecnologia pode colaborar com a pregação do Evangelho...

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Live solidária: artistas em favor da Igreja Perseguida

Denominado de "Seja um com eles", a live solidária é um grito de ajuda a igreja perseguida. Paulo César Baruk, Rebeca Nemer, Eyshila, André Aquino são alguns dos convidados. Saiba mais!

Arte da Graça em casa; Conscientização do setembro amarelo

Em formato online, o evento une shows e workshops incentivando a tolerância, paz e música. Saiba mais!

Aquecimento Sepal 2020, com Edméia Williams e Rodrigo Gomes

Transmissão acontecerá nesta segunda-feira, 14 de setembro, às 19 horas. Saiba como participar!

Encontro nacional Renas: “Ser criança em tempos de incerteza”

É a 13ª edição do Encontro Nacional da Rede Evangélica Nacional de Ação Social (Renas). Evento, que acontece em outubro, será online. Saiba mais!
- Publicidade -

Plugue-se

Michelle Giarola: músicas e histórias do poder de Deus

Em um testemunho de fé, milagre e superação, Michele Giarola lançou seu primeiro álbum musical autoral, “A glória da segunda casa”

“Inesquecível”: a história da professora que morreu para salvar crianças

Filme vai contar a história da professora Heley de Abreu, que deu avida para proteger crianças de um incêndio, em Janaúba (MG). Saiba maiws!

Kemuel e Priscilla Alcântara conquistam Platina Triplo

Platina Triplo é uma certificação pelo grande alcance que as canções dos artistas tiveram nas plataformas digitais de música Nesta quinta-feira, 17, Kemuel e Priscilla...

Ajude um cego a ler a Bíblia e ter a vida transformada

A iniciativa quer distribuir a Bíblia para cegos em todo o Brasil e promover a acessibilidade para pessoas com deficiência visual. Saiba mais!