25.5 C
Vitória
sexta-feira, 19 abril 2024

Com a série “Na Casa”, Baruk relembra a importância da comunhão entre a igreja

Série Na Casa - Paulo Cesar Baruk
Foto: Reprodução

“Por ter estéticas musicais ou artísticas diferentes, a gente não precisa viver afastado”, afirma Baruk

Por Carolina Leão

O projeto “Na Casa”, idealizado por Paulo Cesar Baruk, é uma série de ministração pela qual têm passado artistas gospel de todos os estilos. Nesta semana, o projeto atingiu o marco de 35 episódios, somando mais de 1 mihão de views. A série divulga, semanalmente pelo Youtube, momentos de adoração, comunhão e louvor com participação de músicos cristãos. A partir de um despertar no período de pandemia, a ideia surgiu para servir à igreja retomando a aproximação, em um cenário onde os contatos haviam sido suspensos.

“O projeto Na Casa brota no meu coração no meio da pandemia, num momento em que a gente precisava se manter distanciado, mas a alma sentia fome dessa reaproximação e ansiava para que isso acontecesse o quanto antes. À medida que foi se tornando possível novamente, eu fui nutrindo esse plano, que encontrou uma convergência com um casal, o Netto e a Milena, que acolheu esse projeto e a gente decidiu sonhar juntos sobre isso: abrir a porta de uma casa para receber pessoas das quais a gente sentia muita saudade”, relata o produtor, compositor e cantor Paulo Cesar Baruk.

Após um longo período de afastamento físico, a execução desse projeto ganhou força. “O ‘Na Casa’ é o resultado do saciar da nossa alma de comunhão com irmãos, assentados a uma mesa na presença de um só Deus”, descreve o cantor. No começo, a iniciativa se concretizou com a participação dos amigos mais próximos, mas não demorou para que abrangesse uma diversidade de estilos em um único lugar, mas tendo em comum a mesma fé centrada em Jesus.

- Continua após a publicidade -

A série, além de cumprir o papel de ressaltar a importância da comunhão entre a igreja, também se propõe a incentivar que momentos assim sejam reproduzidos. “O ‘Na Casa’ tem a intenção de provocar as pessoas a se lembrarem que é assim que o mundo reconhece que nós somos seguidores de Jesus: quando a gente se ama, permanece perto, caminha junto. […]. Por ter estéticas musicais ou artísticas diferentes, a gente não precisa viver afastado”, afirma Baruk. “O que a gente tem tentado reforçar nesses encontros é que ninguém precisa necessariamente de uma pessoa conhecida, famosa, para partilhar a vida e o coração. A gente precisa de amigos, de pessoas reais perto”, diz ainda.

Desdobramento: Na mesa em Vila Velha – ES

Um dos desdobramentos principais desse projeto foi um encontro chamado de “Mesa”, que aconteceu em Vila Velha, no Espírito Santo, quando Baruk e a produção do projeto decidiram convidar algumas pessoas da Internet para se reunir para um momento de conversa à mesa. “Para nossa surpresa, foi uma repercussão absurda. Porque a gente conversou, derramou o coração, partilhou alegrias e dores, mas tudo isso não foi pra Internet. O que foi para a Internet foi o que aconteceu depois: o tempo de canções, pequenas reflexões e oração. Mas toda a primeira parte, que foi nossa experiência profunda de mesa e de comunhão, só quem viveu fomos nós e eu entendo isso como um fruto daquele primeiro movimento, do desejo da gente se reunir na Casa do nosso Pai”, conta Baruk.

O canto das Igrejas

Toda a iniciativa é acolhida pelo canal no Youtube chamado de “O Canto das Igrejas”, que recebe esse nome para lembrar a pluralidade de igrejas em um único canto. “A gente chama de ‘O canto das igrejas’ considerando a pluralidade estética e de linguagem das comunidades que se reúnem com sua fé centrada em Jesus, nosso Senhor. A gente tem toda convicção que a igreja de Cristo é uma só, mas em suas manifestações a gente pode dizer que ela é plural”, explica Paulo Cesar Baruk.

A Nomenclatura “Na Casa”

A expressão “Na Casa não é em vão, ela remete a um lugar comum. “Ao dizermos ‘Na Casa’, o que o coração quer dizer é ‘nossa casa. Uma casa que a gente só pode chamar de nossa por causa do Pai que, porque nos convidou primeiro, nos chama a convidar outros para que se aproximem também, cientes de que isso nunca se dará por nossos méritos, mas pelos méritos do nosso Senhor. Que a gente não impeça ninguém de se aproximar da CASA, que a gente não cumpra o papel do filho mais velho na parábola do filho pródigo que, diante da alegria do Pai em receber o mais novo de volta em casa, se entristeceu e ficou de fora da festa”, complementa Paulo Cesar Baruk.

Clique aqui para acessar a série.

Canção “Na Casa”

Nesse contexto, Paulo Cesar Baruk fez um relançamento da música “Na Casa”, canção que retrata exatamente o pertencimento que existe na casa da Deus. “Venham todos os feridos Venham todos os perdidos Há lugar na casa, há lugar na casa”, diz um trecho da letra de composição de Baruk com Leandro Rodrigues.

Assista ao clipe!

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -