Colômbia integra países que mais perseguem cristãos

pastor-colombia-
Foto: Reprodução

Cristão perseguido na Colômbia visita o Brasil e conta como é viver em um dos países mais hostis àqueles que professam a fé em Jesus

Quem lê os relatos de cristãos perseguidos em países árabes e asiáticos pode não imaginar que há irmãos e irmãs da América Latina enfrentando violenta oposição por causa da fé em Jesus.

A Lista Mundial da Perseguição 2020, lançada pela Portas Abertas, relata o aumento da violência contra cristãos em todo mundo. Ao analisar cada tópico da violência destacado na pesquisa, a incidência de violência e perseguição aos cristãos são extremas.

Ao observar países mais próximos ao Brasil, geográfica e culturalmente, pode-se notar índices ainda altos para Colômbia. Ainda que esteja em 41º lugar da Lista Mundial da Perseguição.

O país apresenta dados alarmantes de violência: 40 prédios cristãos (entre igrejas, lojas, casas e hospitais) foram destruídos, depredados ou incendiados. Dezesseis cristãos mortos e mais de 50 cristãos presos por não negaram a Jesus e por falar dele em zonas de risco, como as regiões tomadas pelas milícias, grupos paramilitares e grupos guerrilheiros, que tomam conta de boa parte do país.

Um dos grandes responsáveis pela violência contra os seguidores de Cristo são os conflitos entre grupos criminosos e dissidentes das FARC. Os valores bíblicos expressam visões sociopolíticas contrárias às ideologias dos grupos armados, por isso existe violenta oposição.

PASTOR COLOMBIANO VISITA O BRASIL

Este é o contexto de atuação do pastor Enrique Machado, que está no Brasil até o dia 2 de fevereiro para contar como vive um cristão perseguido na Colômbia. Ele ocupa a diretoria nacional do abrigo para crianças Visão Ágape, fundado pela Portas Abertas no país.

O líder cristão sempre esteve imerso em zonas violentas de concentração de grupos paramilitares e o impacto do trabalho dele resultou até em ameaças de morte. O pastor levou o evangelho até os integrantes dos grupos paramilitares. Quando os líderes do AUC foram presos, ele passou a atuar como capelão nas penitenciárias de segurança máxima, para que outros rebeldes tivessem oportunidade de seguir a Cristo.

Atualmente, Enrique Machado treina outros líderes para fazerem diferença na Colômbia. Já viajou esporadicamente para acompanhar e treinar 130 pastores de diferentes denominações. Ele é fundador do Instituto Bíblico Peniel, onde capacita 21 estudantes de três regiões do país. Acompanhe a agenda do pastor Enrique na página da Portas Abertas no Brasil.

*Da redação, com informações de Portas Abertas 


Leia mais 

Pastor é morto na Colômbia 
Pastor da Colômbia fala da igreja perseguida no país 
Colômbia: sete mil convertidos no Festival Esperança