22.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Cientistas descobrem circuito cerebral para a fé e espiritualidade

Mais de 80 por cento das pessoas em todo o mundo se consideram religiosas ou espirituais

Por Marlon Max

“Em Cristo estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência”, diz o apostolo Paulo em Colossenses 2:3. Muitos são os debates sobre como a fé pode ser provada pela ciência. Esse parece ser um assunto já superado.

Um novo estudo liderado por cientistas do Hospital Universitário Brigham para Mulheres, da Faculdade de Medicina de Harvard, adotou uma nova abordagem para entender como a fé e a espiritualidade atuam no cérebro humano. Através de exames de imagem, os pesquisadores conseguiram descobrir que existe um circuito cerebral específico diretamente ligado à fé.

Este circuito cerebral está centrado no cinza periaquedutal (PAG), uma região do tronco cerebral que tem sido implicada em várias funções, incluindo condicionamento do medo, modulação da dor, comportamentos altruístas e amor incondicional. As descobertas da equipe foram publicadas na Biological Psychiatry.

“Nossos resultados sugerem que a espiritualidade e a religiosidade estão enraizadas na dinâmica neurobiológica fundamental e profundamente entrelaçadas em nosso neuro-tecido”, disse o autor correspondente, Michael Ferguson, Ph.D., pesquisador principal do Brigham’s Center for Brain Circuit Therapeutics. “Ficamos surpresos ao descobrir que este circuito cerebral para a espiritualidade está centrado em uma das estruturas do cérebro mais preservadas do ponto de vista evolucionário.”

Para conduzir seu estudo, Ferguson e colegas usaram uma técnica chamada mapeamento de rede de lesões, que permite aos investigadores mapear comportamentos humanos complexos para circuitos cerebrais específicos com base na localização das lesões cerebrais em pacientes.

Metodologia

Os pacientes responderam a uma pesquisa que incluiu perguntas sobre aceitação espiritual antes e depois da cirurgia. A equipe validou seus resultados usando um segundo conjunto de dados composto por mais de 100 pacientes com lesões causadas por traumatismo craniano penetrante em combate durante a Guerra do Vietnã. Esses participantes também responderam a questionários que incluíam questões sobre religiosidade, como: “Você se considera uma pessoa religiosa? Sim ou Não?”.

Dos 88 pacientes neurocirúrgicos, 30 mostraram uma diminuição na crença espiritual autorreferida antes e depois da ressecção do tumor cerebral neurocirúrgico, 29 mostraram um aumento e 29 não mostraram nenhuma mudança.

Usando o mapeamento da rede de lesões, a equipe descobriu que a espiritualidade auto-relatada mapeada para um circuito cerebral específico centrado no PAG. Que segundo os especialistas, o circuito incluía lesões que interromperam nódulos respectivos diminuíram ou aumentaram as crenças espirituais.

Os resultados sobre religiosidade do segundo conjunto de dados estão alinhados com esses achados. Além disso, em uma revisão da literatura, os pesquisadores encontraram vários relatos de casos de pacientes que se tornaram hiper-religiosos após experimentarem lesões cerebrais que afetam os nódulos negativos do circuito.

“Apenas recentemente a medicina e a espiritualidade foram divididas uma da outra. Parece haver essa união perene entre cura e espiritualidade entre as culturas e civilizações”, disse Ferguson. “Estou interessado em saber até que ponto a nossa compreensão dos circuitos cerebrais pode ajudar a criar questões cientificamente fundamentadas e clinicamente traduzíveis sobre como a cura e a espiritualidade podem co-informar uma à outra”, conclui.

Com informações Medial Xpress

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se