Universidade Adventista em Moçambique é atingida por ciclone

Foto: Reprodução

Ciclone tropical Idai já deixou 122 mortos e deve continuar provocando fortes ventos e chuvas até domingo. Conferência Internacional de Bíblia e Missão que acontecia na Universidade foi cancelada

O impacto do ciclone tropical Idai causou pelo menos 122 mortes e deixou mais de 1 milhão pessoas afetadas em Moçambique e no Malaui desde o começo de março, informou nesta quinta-feira (14) o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha).

A Universidade Adventista de Moçambique está diretamente na rota do ciclone Idai. Ele entrou em terra firme com ventos de até 165 quilômetros por hora nesta quinta (14), perto de Beira, uma cidade portuária de 500 mil habitantes, onde a Igreja administra a instituição educacional.

Uma equipe de líderes da Igreja, liderada pelo pastor Alberto Timm, diretor associado do Ellen G. White Estate, da sede mundial adventista, realizavam a Conferência Internacional de Bíblia e Missão na universidade quando a tempestade sucedeu pela primeira vez no início da semana.

“Orem pelos membros da nossa Igreja em Moçambique, especialmente pelos membros da nossa universidade adventista em Beira”, escreveu Wilson na sua página no Facebook. Ele também pediu orações para aqueles em Moçambique e no Malawi já afetados pelo ciclone, que inicialmente entrou em terra no meio da semana, derrubando o teto de pelo menos um prédio da universidade e causando outros danos antes de seguir para o mar.

Destruição

Horas antes do retorno do ciclone, o presidente da universidade, Heraldo Lopes, avaliou os danos iniciais em um vídeo publicado na página de Wilson no Facebook.

“Este é o lugar onde o telhado saiu”, contou ao mostrar um prédio de tijolos sem telhado. “Estamos orando a Deus para que nada mais aconteça com a universidade”.

Após a primeira onda da tempestade, a Conferência da Bíblia foi suspensa até nova ordem. Timm e outros líderes da Igreja, incluindo vários da sede administrativa para uma região da África e do Oceano Índico, deslocaram-se para um hotel na esperança de evitar a maré ciclônica, com ondas que devem atingir pelo menos seis metros de altura.

Após a primeira onda da tempestade, a Conferência da Bíblia foi suspensa até nova ordem. De acordo com William Timm, filho do pastor Alberto, o último contato que recebeu do pai foi por meio de uma mensagem enviada na quinta-feira (14) quando ele comentou que espera a proteção divina por conta do terrível desastre. Ele explicou que estava escondido no banheiro para se proteger e afirmou que grande parte do hotel onde estava foi destruído.

O pastor Ted Wilson reiterou seu apelo por orações por Moçambique e Malawi, bem como pela África do Sul e pelo Zimbábue, que também podem sofrer o impacto do ciclone. “Que bênção saber que estamos indo para o Céu, onde não haverá calamidades”, pontuou. “Vamos nos engajar no Envolvimento Total de Membros, ajudando as pessoas física, mental, social e espiritualmente através do poder de Cristo.”

De acordo com o Ocha, as previsões indicam que o Idai provocará fortes ventos e chuvas nas províncias moçambicanas de Zambézia, Sofala, Manica e Inhambane de hoje até domingo. Potentes ventos e intensas chuvas poderiam castigar também o leste do Zimbábue e o sul do Malawi nos próximos dias, segundo o Escritório da ONU, que informou que existe “uma resposta humanitária em andamento” para ajudar os afetados.

Veja o vídeo

*Com informações de Notícias Adventistas


Leia mais

Nova Zelândia – Tragédia em Mesquita deixa 49 mortos

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!