22.7 C
Vitória
segunda-feira, 15 agosto 2022

Perseguição – Dezenas de cristãos são detidos na China

Presidente chinês, Xi Jinping, agravou a perseguição contra as igrejas. Foto: Reprodução/Getty Images

As autoridades chinesas consideram ilegais as igrejas que não aceitarem ser supervisionadas pelo Governo

A polícia deteve dezenas de fiéis e líderes de uma das igrejas domésticas protestantes mais proeminentes da China, disseram membros da congregação e ativistas, na mais recente ação do governo contra grupos religiosos não registrados.

Equipes de policiais e autoridades de segurança do Estado na cidade de Chengdu, no sudoeste do país, chegaram aos lares de líderes e membros da Early Child Covenant Church no domingo e os detiveram, segundo comunicados enviados aos membros da Igreja e repassados ​​à Reuters por fiéis e ativistas.

“A hora chegou. Ó Senhor! Você não estabeleceu esta igreja para este propósito?”, a igreja disse em um de seus anúncios.

“Nós vamos esperar por você, como um vigília espera pelo amanhecer.”

Acredita-se que mais de 100 pessoas foram detidas, disse um ancião da igreja, que se recusou a ser identificado.

Nem os Ministérios de Segurança Pública de Chengdu nem a nível nacional responderam aos pedidos de comentários por fax.

perseguição

A Constituição da China garante a liberdade religiosa, mas desde que o presidente Xi Jinping assumiu o cargo há seis anos, o governo aumentou as restrições religiosas vistas como um desafio à autoridade do Partido Comunista.

A lei chinesa exige que todos os locais de culto se registrem e se submetam à supervisão do governo, mas algumas igrejas se recusaram a registrar, por várias razões.

A Early Rain Church é uma das igrejas domésticas não registradas mais conhecidas na China.

Os membros da igreja não puderam contatar o pastor Wang Yi, o fundador da igreja, ou sua esposa, e os grupos da igreja na plataforma de mensagens instantâneas WeChat também foram bloqueados, disse a igreja em um anúncio.

O jornalista de Pequim Ian Johnson, que escreveu sobre Wang e sua congregação em seu livro de 2017, The Souls of China, disse no Twitter que a repressão foi “uma notícia realmente preocupante”.

“Receio que isso seja parte de uma repressão maior contra igrejas cristãs não registradas, à medida que o governo pressiona seus esforços para dominar a sociedade”, escreveu ele.

A polícia disse a Zhang Xianchi, 84, um conhecido autor e membro da igreja, que não deve visitar a igreja, porque ela foi “ilegal” e que todos os seus principais líderes foram detidos, segundo um relato de Zhang compartilhado pela igreja.

Um vídeo postado online por ativistas na China e no exterior, mostrou um grupo de cerca de uma dúzia de policiais à paisana levando os frequentadores da igreja para longe de uma reunião.

Na gravação, a polícia disse a uma mulher que levaria um homem ao departamento de segurança pública municipal para ser investigado, enquanto uma criança chorava ao fundo.

“Estou lhe dizendo que estamos aplicando a lei”, disse um policial à mulher.

Igrejas em toda a China têm mais pressão para registrar desde que um novo conjunto de regulamentações para governar os assuntos religiosos entrou em vigor em fevereiro e aumentou as punições para as igrejas não-oficiais.

*Com informações da Christian Today.


leia mais

China barra cristãos em aeroportos
China – Líderes pedem o fim da violência contra cristãos
Cristãos são levados para campos comunistas na China

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se