Morre CEO de organização cristã na África do Sul

Peter e Miranda Harris. Miranda estava entre os três líderes de A Rocha mortos em um acidente na África do Sul na segunda-feira (Foto: Wendi Poole / Laity Lodge)
Peter e Miranda Harris. Miranda estava entre os três líderes de A Rocha mortos em um acidente na África do Sul na segunda-feira (Foto: Wendi Poole / Laity Lodge)

Miranda Harris e Chris Naylor ajudaram a liderar os inovadores esforços globais da organização para reunir convicções cristãs e preocupações ambientais

A organização “A Rocha Internacional” está sofrendo com a perda de seus mais importantes representantes. Os co-fundadores Peter e Miranda Harris e o CEO Chris Naylor e sua esposa Susanna, sofreram um acidente fatal na última segunda-feira (28).

Segundo informações da imprensa, Miranda Harris e os Naylors morreram quando o carro capotou sobre uma ponte em um rio em Port Elizabeth, na África do Sul.

Os sobreviventes Peter Harris e o motorista permanecem estáveis. Entretanto, por meio de nota a organização afirmou que aguardam mais informações. O grupo realizava uma visita na África do Sul em conexão com “A Rocha” local, na esperança de futuras oportunidades ministeriais ali.

“Sabemos que isso é um choque profundo para todos da família “A Rocha” e outras pessoas em todo o mundo”, afirmou a sede da organização no Reino Unido.

MIRANDA HARRISE

Os Harrises fundaram “A Rocha” há mais de 35 anos e espalharam o movimento da criação por cristãos em todo o mundo. Chris Naylor ingressou em 1997, supervisionando seu trabalho de conservação no Líbano onde foi diretor executivo desde 2010.

“Peter e Miranda são pioneiros no que hoje é um movimento global de criação, e Chris liderou ‘A Rocha’ de maneira brilhante por muitos anos”, Edward R. Brown, catalisador de Lausanne para criação e cuidado e diretor do ministério Care of Creation.

Dave Bookless, diretor de teologia de “A Rocha” declara que “deixa um buraco enorme e insubstituível em nossas vidas e em nossa organização”.  Além disso, tinham uma “fé bíblica no Deus vivo, que criou o mundo, o ama e confia aos cuidados da sociedade humana”, destaca.

Antes de mais nada, nos últimos anos os Harrises retornaram ao Reino Unido. Dessa forma puderam conversar com várias organizações nacionais para orar e fornecer orientações. Entretanto, continuaram com um trabalho de defesa em relação a mudanças climáticas.

Miranda era mãe de quatro filhos e avó, assim falava sobre “A Rocha” como se fosse sua família.

“Somos unidos por uma paixão comum e uma fé compartilhada, e estamos profundamente comprometidos um com o outro a longo prazo. Você pode dizer que nosso DNA é mais espiritual do que biológico, que nos reconhecemos por causa dos valores que moldam nossa vida familiar”, revelou.

A cantora Kellie Haddock afirmou: “a última carta dela chegou na semana passada e continuará sendo um tesouro para mim pelo resto dos meus dias”, escreveu Haddock que considera Miranda uma “mãe espiritual”.

FAMÍLIA NAYLOR

Chris Naylor estabeleceu o trabalho de “A Rocha” no Líbano, após servir anos no Oriente Médio ao lado da esposa Susanna que montou uma loja ecológica no país. Em 2015 Chris escreveu: “Cartões postais do Oriente Médio: como nossa família se apaixonou pelo mundo árabe”.

Os Naylors se mudaram para o Kuwait como professores e depois fugiram da invasão de Saddam Hussein. Entretanto, voltaram com os filhos na Jordânia para ensinar.

“Senti um chamado para escrever o evangelho na paisagem, para reconhecer que nosso Deus fantástico ama esse lugar, assim como ele ama as pessoas ao seu redor”, disse Chris Naylor, 58, que morreu no acidente.

A liderança de Chris como CEO “foi calma, inclusiva e, ainda assim, clara e decisiva, pois ‘A Rocha’ se tornou uma voz global em cuidados com a criação, e respeitada por sua experiência prática em todo o mundo e sua clara base bíblica”, afirmou Bookless.

*Da redação, com informações de Cristhianity Today 


LEIA MAIS

Maranata prioriza o cuidado com o meio-ambiente 
Teólogo e Físico Adalto Lourenço fala sobre ciência 
Nova Zelândia – A igreja construída de árvores vivas