back to top
27.7 C
Vitória
terça-feira, 21 maio 2024

CCJ da Câmara aprova prisão de Chiquinho Brazão

votação_câmara_chiquinho_brazão_ccj
O PL, o União Brasil e a oposição orientaram pela soltura do deputado - Foto por: Zeca Ribeiro - Câmara dos Deputados

Foram favoráveis à manutenção da prisão PSOL, PT, MDB, PDT, PSB e PSD e o governo; caso vai ao Plenário da Câmara

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta quarta, 10, a manutenção da prisão do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ). O parlamentar foi apontado pela Polícia Federal (PF) como um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em 2018. Foram 39 votos a favor da prisão, 25 contra e uma abstenção. A matéria vai agora para o plenário, onde há uma divisão e o resultado é incerto.

O PL, o União Brasil e a oposição orientaram pela soltura do deputado. O PP, o Republicanos e o Podemos liberaram suas bancadas. Foram favoráveis à manutenção da prisão PSOL, PT, MDB, PDT, PSB e PSD e o governo. Brazão foi detido preventivamente pela Polícia Federal por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF. A Câmara tem a prerrogativa de decidir se mantém ou não a prisão.

O parecer do relator, o deputado Darci de Matos (PSD-SC), foi pela manutenção da prisão. O PL passou a apoiar a cassação do mandato do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) como forma de tentar abrir caminho para a soltura do parlamentar

Durante a reunião em que o Conselho de Ética abriu o processo de cassação hoje, o deputado Domingos Sávio (PL-MG) apresentou uma representação para que Brazão perdesse o mandato. O PSOL, contudo, já havia protocolado o mesmo pedido duas semanas atrás

- Continua após a publicidade -

Parlamentares da oposição criticam a prisão preventiva de Brazão e argumentam que há temor de que se abra um precedente para que mais parlamentares sejam detidos dessa forma no futuro. Além disso, querem mandar um recado ao STF e a Moraes com a soltura do deputado.

“O ministro Alexandre de Moraes está exorbitando, mas não é novidade. E é aí que mora o problema. Num primeiro momento eu pensei: quero que esse cara fique preso e apodreça na prisão. Depois, eu reavaliei e compreendi o seguinte: eu quero que ele seja cassado e responda pelo crime, porque cassado ele pode ser preso legalmente”, disse Domingos Sávio, na CCJ.

“Eu não posso concordar que o ministro Alexandre de Moraes está acima da Constituição”, emendou. “Eu tenho consciência de que temos que punir (Brazão), cassando o mandato, e vamos fazer isso Agora, rasgar a Constituição, dizer que o Alexandre de Moraes está acima do bem e do mal e que ele pode prender quem ele quiser, não vou fazer isso em hipótese alguma.” Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -