24.1 C
Vitória
sábado, 15 maio 2021

A ‘catástrofe’ da festa judaica que poderia ter sido evitada

Dezenas de milhares de judeus ultraortodoxos participavam da festa judaica do fogo, o Lag Baomer. Ato teve o maior número de pessoas no país desde a explosão da pandemia. Netanyahu chamou a tragédia de ‘catástrofe’

Por Priscilla Cerqueira 

“A catástrofe do monte Meron é uma das mais graves a atingir o Estado de Israel”. Essas foram as primeiras palavras do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu após a tragédia, que deixou 45 pessoas mortas. O tradicional evento religioso, que aconteceu na noite desta quinta-feira, 29, deixou outras 150 pessoas feridas.

As circunstâncias exatas da tragédia ainda não foram determinadas. Mas as equipes de resgate afirmam que o tumulto aconteceu porque uma arquibancada desabou, causando uma grande correria. Com isso, pessoas foram pisoteadas e asfixiadas.

Pastor Francisco Cardoso, presidente da Comunidade judaica Chessed V’emet, em Vitória (ES) relatou à Comunhão a tristeza ao saber da notícia de tantas mortes no país.

“É lamentável ver tantas pessoas morrerem assim no evento festivo. Estamos muito tristes com isso. Tenho muitos amigos lá, mas graças a Deus estão todos bem. Mas é muito gente reunida, então precisa de uma investigação mais aprofundada para avaliar o que de fato aconteceu”, comentou.

Outros acidentes no mesmo lugar

O professor de Hebraico, Benjamin Serber, 40 anos, que mora em Israel falou à Comunhão com exclusividade e afirmou que a tragédia poderia ter sido evitada. Segundo ele, há 100 anos aconteceu uma tragédia no mesmo lugar.

“Todo ano mais de 100 mil pessoas se reúnem neste lugar no norte de Israel. É um risco muito grande quando uma multidão com crianças e idosos também ficam aglomerados em volta de fogueiras e dançando em auditórios que a qualquer momento pode desmoronar. Poderia ter acontecido antes, alguns já tinham advertido. Mas os grandes rabinos não deram atenção a segurança e a tragédia acabou acontecendo”, explicou.

Investigações

A polícia informou ao jornal israelense Haaretz que iniciou uma investigação sobre as causas do acidente. O primeiro-ministro decretou luto nacional no domingo, 2. No Twitter, o premie disse que determinou “uma investigação completa, séria e profunda para garantir que tal desastre não ocorra novamente”.

Saiba mais sobre o que aconteceu na Tragédia em Israel

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se