24.4 C
Vitória
terça-feira, 9 agosto 2022

Casos de depressão se agravam no Brasil durante a pandemia

Depressão
Foto: Reprodução / Pixabay

A adversidade associada às consequências socioeconômicas e o medo do vírus, possuem um impacto importante na saúde mental da população

Por Marlon Max

Considerada pela ciência como o “mal do século”, a depressão tem vitimado um número cada vez maior de pessoas. Por isso, discussões e estudos acerca do tema ganham mais espaço em consultórios de médicos e psicanalistas, no ambiente familiar, em escolas e em igrejas. O debate sobre o que realmente é depressão e seus efeitos foi aquecido durante a pandemia. Segundo pesquisa divulgada pela Fiocruz, durante a crise da covid-19, aumentou o número de adultos com algum tipo de transtorno mental.

Entre os motivos recorrentes que corroboram para esse aumento, a entidade aponta o uso abusivo de álcool e outras drogas, presença de sofrimento psíquico, vulnerabilidade financeira e social. Diante desse cenário, provocado pelo confinamento e incertezas sobre o futuro, é preciso estar alerta aos fatores de risco no cenário brasileiro.

Médico psiquiatra e psicoterapeuta formado pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Jovino Araújo observa que a mente humana tem muitos mistérios. Há mais de um século foram formuladas teorias que explicam o funcionamento de nossas emoções, prevendo uma área inconsciente do pensamento. Muitas coisas que acontecem com os seres humanos e suas emoções não se justificam pela lógica.

“Isso não é motivo para que expliquemos o que é desconhecido através de ideias espirituais. Essa associação pode até atrapalhar uma abordagem mais correta para um problema que é apenas de saúde e que poderia ser adequadamente tratado por um médico”, afirma ele.

De acordo com o especialista, depressão prolongada afeta estruturas cerebrais como o hipocampo, área responsável pela atenção, memória e raciocínio, o que gera mudanças na forma de pensar e de reagir, podendo causar até mesmo delírios. E esse sintoma algumas vezes é confundido com possessão demoníaca, o que é um erro. “Somos uma mistura de corpo, mente e alma, mas a ciência já está avançada, e não podemos ter uma postura que seria mais aceitável em séculos passados, quando as manifestações de doenças mentais eram confundidas com problemas espirituais.”

O cenário de instabilidade global e falta de entendimento sobre a patologia, leva alguns cristãos a ter ojeriza à doença. Porém é preciso estar alerta aos sintomas, pois as “doenças da alma”, como alguns designam as aflições psíquicas, podem alcançar a qualquer um, sobre tudo durante tempos atípicos como na pandemia.

A depressão é uma doença que apresenta não apenas sintomas como desânimo, cansaço, falta de interesse por desempenhar algumas tarefas ou tristeza profunda. Sua manifestação pode desencadear vários sintomas, entre eles ansiedade, inquietude, dificuldade de concentração, perda ou excesso de sono, dores de cabeça e até mesmo problemas digestivos.

De acordo com a OMS, a pandemia da covid-19 teve amplo e profundos impactos na saúde mental da população em nível individual, comunitário, nacional e internacional. “É normal e compreensível que as pessoas tenham maior probabilidade de sentir medo, preocupação, estresse, nervosismo, ansiedade e inquietação ao se depararem com a incerteza”, alerta a OMS que complementa justificando que “o medo de contrair o vírus causa impactos significativos na vida cotidiana das pessoas, a fim de conter e retardar a propagação”, frisa o texto publicado pela Organização Mundial da Saúde.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se