21 C
Vitória
sábado, 17 abril 2021

Casamentos: à prova de crise?

Apesar do impacto da pandemia, é possível desfrutar de um relacionamento funcional e harmônico

Isolamento social, educação remota, salários diminuídos, desempregos, contratos suspensos, home office, inflação em alta e milhares de mortes. 2020 é o ano que entra para a história mundial.

Com tantas informações ao mesmo tempo aliadas à rotina totalmente modificada em virtude da Covid-19, as famílias foram diretamente impactadas. Este momento de estresse, dúvida, medo, nervosismo, ansiedade e insegurança contribui para o desgaste de muitos casamentos.

Segundo dados da Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados, gerenciada pelo Colégio Notarial do Brasil, houve um crescimento na procura e realização de escrituras públicas de divórcio, na ordem de 260%. No primeiro mês de isolamento, provocado pela pandemia do coronavírus, em abril, foram quase três mil casamentos desfeitos no País. Porém, em julho, este número saltou para mais de 7,4 mil. Comparado ao mesmo período no ano de 2019, o percentual de aumento foi de 30%.

No entanto, na contramão dessa triste realidade, muitos casais enxergaram na pandemia um momento para estreitar os laços, amadurecer, aprender e ressignificar o relacionamento. “Tempos difíceis contribuem para o fortalecimento, inclusive o espiritual”, assevera o pastor Josué Gonçalves, que é terapeuta familiar, teólogo, escritor e fundador do ministério Amo Família.

“O momento só aflorou ainda mais os problemas que já existiam antes da Covid-19, e aqueles que conviviam bem passaram a ser mais unidos” – Josué Gonçalves, pastor e terapeuta familiar, teólogo, escritor e fundador do ministério Amo Família

Ele cita a passagem bíblica de 1 Tessalonicenses 5.18: Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. “Isso significa que o Senhor está no controle. Ele não permite nada sem um propósito”, analisa, acrescentando que é o momento para os casais treinarem a paciência, solidariedade, empatia, generosidade, o amor. “Avivem a fé e pratiquem o servir”, frisa.

Disciplina espiritual

Na compreensão do pastor Josué Gonçalves, a pandemia está servindo para revelar aos casais se a relação está firmada ou não.

“O momento só aflorou ainda mais os problemas que já existiam antes da Covid-19, e aqueles que conviviam bem passaram a ser mais unidos”, avalia e salienta: “Os desafios são grandes. É um tempo da ajuda mútua, sensibilidade, compreensão e o entendimento”. Em tempos de guerra, diz o pastor, é fundamental o fortalecimento do casal e da família para o enfrentamento do inimigo. “A batalha não é somente biológica, mas psicológica também. Muitas pessoas estão ansiosas, depressivas, amarguradas, inseguras, com medo”, salienta.

O remédio recomendado pelo pastor Josué Gonçalves é o retorno à disciplina espiritual. “Oração, jejum, leitura da Palavra, meditação nos ensinamentos bíblicos e envolver-se nos trabalhos da igreja-local”.

Outro aspecto levantado pelo pastor Josué como imprescindível para um relacionamento saudável, independente das circunstâncias, é a comunicação inteligente. Segundo ele, não há relação que sobreviva sem um bom e sincero diálogo.

“Não existe vida sem comunicação, que envolve: falar, ouvir e compreender. Só ouço, de fato, quando me coloco no lugar do outro para entender a partir das perspectivas dele”, explica. Ele salienta que se existir compreensão é possível conviver de maneira harmoniosa neste momento de contato mais estreito entre os casais e também com os filhos. “As pessoas estão aprendendo ou reaprendendo a estarem mais juntas e, muitas vezes,
compartilhando espaços pequenos. A pandemia trouxe uma nova realidade: ser, verdadeiramente, casal e família”, conclui o pastor Josué Gonçalves.

Apoio mútuo

A dinâmica familiar e a vida conjugal, no entendimento do psicólogo Leonardo Távora, são determinantes para compreender o grau do impacto da pandemia no dia a dia do casal. Ele destaca que, se a rotina antes da Covid-19 era integrada, flexibilizada, de apoio e com as diferenças e as críticas facilmente resolvidas, os desgastes são menores.

“No entanto, se a relação era marcada pelo individualismo, pela falta de diálogo e pelo distanciamento, a deterioração da vida a dois, ocasionada pelos conflitos, é inevitável”, ressalta. O especialista é categórico ao expor que não existe uma fórmula mágica, uma receita de bolo, para a construção de um casamento saudável e harmônico, tendo em vista que as pessoas são únicas.

“Muitos problemas no casamento são acarretados devido à falha na comunicação. É preciso que o casal fale o que sente frente a frente” – Leonardo Távora, psicólogo

Em contrapartida, Leonardo enfatiza que existem alguns “ingredientes” importantes, que viabilizam um bom relacionamento. “É necessário reciprocidade. Um estar disposto a satisfazer as necessidades do outro”, afirma e pondera: “O apoio mútuo é importante para o desenvolvimento profissional, emocional e financeiro”.

As palavras de afirmação, na visão de Leonardo Távora, são imprescindíveis para erguer e sustentar qualquer relacionamento. Ele lembra que as palavras são como flechas lançadas, que podem arder como fogo consumidor ou gerar vida e amor. “Muitos problemas no casamento são acarretados devido à falha na comunicação. É preciso que o casal fale o que sente frente a frente”, sentencia, acrescentando que tão importante quanto o falar é a observação. “É preciso sensibilidade para enxergar as demandas do outro. Perceber o que o cônjuge está realmente sentindo”, afirma.

Fonte: IBGE

Neste momento tão adverso, para Távora, o casal precisa investir em mais intimidade, seja física ou verbal. “Aproveitar que estão mais tempo juntos para valorizar um a companhia do outro, como também dividir as funções e as responsabilidades familiares”, realça e reforça: “É tempo de treinar a paciência, a resiliência e o entendimento”.

Une e afasta

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o desemprego diante da pandemia do novo coronavírus bateu recorde em novembro, chegando a uma taxa de 14,2%. É a maior taxa já registrada na série histórica da pesquisa, iniciada em 2012. De acordo com os especialistas, as dificuldades financeiras figuram entre os principais “gatilhos” para os conflitos no casamento. Então, segundo Junior Fanticelli, líder do ministério Casados para Sempre, no Espírito Santo, é preciso compreender que as crises existem, são reais, e precisam ser encaradas, para que se alcance a solução.

“Nenhum casal estava preparado para enfrentar 10 meses de impacto financeiro. Todos foram pegos de surpresa. A questão é tentar minimizar os danos”, ressalta. A dica, segundo ele, é o planejamento e a organização financeira dentro da realidade de cada casal. “Quem não possui objetivo dá volta em círculos, chega onde não quer. É preciso fazer planos de pequeno, médio e longo prazos”, ensina e aconselha: “Não gaste mais do que ganha. Viva seguindo a sua realidade, e não a do outro. O dinheiro tem poder de unir ou afastar”.

O casal adverte Junior, precisa somar os salários, tendo em vista que no casamento não existe “meu” rendimento, mas “nosso”. “É uma conta só. A pessoa casa com o pacote completo”, enfatiza. De acordo com ele, é preciso pontuar as prioridades da casa, da família, além de reservar um valor mensal para os dias maus e para a realização de alguns sonhos. “A organização financeira deve ser elaborada em comum acordo. Cuidado com o espírito de pobreza, mentalidade limitante, avareza”, assegura, destacando a passagem bíblica de Mateus 25.23b: Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito.

Venha e participe da alegria do seu senhor! Ser bom gestor, administrador, atesta Junior, diante de poucos recursos é o preparo para atingir outros patamares financeiros. “O Senhor não pode colocá-lo diante do muito se você não dá conta de organizar bem o pouco que Ele confia as suas mãos”.

O dinheiro influencia a vida, a sociedade, o dia a dia dos casais, por isso a importância do diálogo financeiro. Não faz sentido estar comprometido com a aliança do casamento se não houver conversa sobre a realidade econômica do casal e de cada um, individualmente. “É importante entender a mentalidade financeira do outro, já que o histórico familiar não é o mesmo, o que implica na forma como lidar com o dinheiro”, explica Junior, que é taxativo: “Casais que não conversam sobre dinheiro conversarão de divórcio”.

Esse diálogo franco e transparente, de acordo com Junior Fanticelli, deve ser extensivo aos filhos. “Falar com sabedoria, respeitando a idade e o limite das crianças. Sem colocar peso ou medo. Aprender com a família é a melhor escola de educação financeira”, finaliza Junior Fanticelli, que aponta ainda o temor e os ensinamentos do Senhor para que o casal possa desfrutar o melhor deste mundo. Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos!

Pois comerás do trabalho das tuas mãos, feliz serás, e te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR. O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. E verás os filhos de teus filhos e a paz sobre Israel (Salmos 128 1-6).


10 segredos para um casamento feliz

1 – Não relembre erros
Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão. (Lucas 6.37)

2 – Não durma irado
Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. (Efésios 4.26)

3 – Elogie o seu cônjuge
A língua benigna é árvore de vida, mas a perversidade nela deprime o espírito.
(Provérbios 15.4)

4 – Seja amoroso
Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o teu amor do que o vinho. (Cânticos 1.2)

5 – Libere o perdão
Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se arrepender, perdoa-lhe. E, se pecar contra ti sete vezes no dia, e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo: Arrependo-me; perdoa-lhe. (Lucas 17.3-4)

6 – Priorize o amor
Melhor é a comida de hortaliça, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio.
(Provérbios 15.17)

7 – Invista no sexo…
Tornando-se uma só carne; o amor jamais acaba… (Gênesis 2.24b/ 1 Coríntios 13.8a)

8 – Exercite o diálogo
O amor não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha … (1 Coríntios 13.6-8)

9 – Seja fiel
O que adultera é falto de entendimento; destrói a sua alma o que tal faz. Achará castigo e vilipêndio, e o seu opróbrio nunca se apagará. (Provérbios 6.32,33)

10 – Financeiramente, dependa de Deus
O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória,
por Cristo Jesus. (Filipenses 4.19)

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se