back to top
18.3 C
Vitória
domingo, 14 DE julho DE 2024

Carnaval influencia consumo de drogas?

Foto: Reprodução

Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo (18/02) e Dia Nacional de combate às Drogas e Alcoolismo (20/02) levam especialista a fazer um alerta.

Por Lilia Barros

Muitas pessoas usam o feriado de carnaval como forma de “escape” para esquecer dos problemas usando substâncias químicas.

O educador físico e pós-graduado em Dependência Química e Promoção da Saúde e Consultor em Dependência Química do Centro Vida Araricá, no Rio Grande do Sul, afirma que “Estas festividades trazem com elas propagandas de incentivo ao uso, como por exemplo as campanhas de bebidas. Muitas pessoas usam as drogas durante o Carnaval para potencializar o prazer. Elas se sentem mais à vontade para fazer coisas que nunca fizeram antes. Durante o uso, o corpo produz sensações de euforia e desinibição. Além disso, a maioria das substâncias diminui o sono e aumenta a disposição física”, explica. 

Entre os principais consumos estão o álcool, tabaco, maconha, cocaína, inalantes como lança-perfume, ecstasy e LSD. “Podemos destacar alguns sintomas durante e depois do uso destas drogas como euforia, prazer intenso, agitação, sensação de poder, aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, distorção da realidade, impulsividade, desinibição. As pupilas ficam dilatadas, olhos vermelhos, agitação, euforia, perda do juízo crítico, os reflexos motores ficam prejudicados e algumas pessoas podem ficar agressivas”, revela Pacheco.

- Continua após a publicidade -

O Centro Vida de Araricá é uma clínica de reabilitação de mais de 40 mil metros para homens portadores de Transtorno por Uso de Substâncias (TUS), e uma das poucas no Rio Grande do Sul que não fazem uso do cigarro durante o tratamento. Possui em seu histórico pacientes que afirmam ter iniciado o consumo ou que abusaram durante o Carnaval. No Instagram da clínica, é possível acompanhar diariamente dicas de como lidar com o dependente e os sintomas de uma possível dependência química.

“Caso a família ou os amigos desconfiem de que a pessoa esteja usando drogas ou que esteja viciada, a primeira coisa a se fazer é fazer uma avaliação através de sinais e de perguntas do que a pessoa está sentindo. Depois encaminhá-la ao posto de saúde mais próximo”, finaliza o consultor.

O Centro Vida de Araricá é uma clínica de reabilitação de mais de 40 mil metros para homens portadores de Transtorno por Uso de Substâncias (TUS). Localizada em Araricá (RS), utiliza as metodologias da Minnesota e dos Alcoólicos Anônimos (AA) durante o tratamento para que os pacientes retomem a vida de forma leve, com o apoio da família e amigos próximos. 

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -