18.8 C
Vitória
sábado, 20 agosto 2022

Canadá pode entrar na lista de observação da liberdade religiosa dos EUA

Foto: Reprodução

Um dos deputados comparou a postura do governo canadense durante a pandemia aos atos praticados na China. Saiba mais!

Por Patricia Scott 

O Canadá pode ser incluído à lista de observação de países onde as liberdades religiosas estão sendo ameaçadas. Isto porque a resolução que faz o pedido à Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos EUA foi aprovada na Câmara dos Representantes do estado de Ohio.

O deputado estadual Tim Ginter afirmou que os legisladores canadenses lidaram mal com as restrições de bloqueio da Covid-19 e atacaram igrejas. “Esta resolução não é o resultado de um incidente singular ou mesmo de um punhado de incidentes”, ressaltou Ginter em comunicado, segundo a WKSU-TV, pontuando ainda:“É um padrão persistente de violações de direitos religiosos que nos levou a este ponto”.

Concordando com a mesma visão, o deputado estadual de Ohio, Reggie Stoltzfus, destacou que o tratamento dado ao pastor Coates era inaceitável. O pastor James Coates, da GraceLife Church, em Edmonton, esteve preso por mais de 30 dias por realizar cultos presenciais em violação às restrições de bloqueio do governo.

“Embora Ohio tenha defendido a liberdade religiosa e protegido o direito de frequentar serviços religiosos, está claro que o Canadá não fez o mesmo”, ressaltou Reggie Stoltzfus. Ele conceituou os mandatos do país como “muito semelhantes ao que vemos na China controlada pelos comunistas.”

O pastor James Coates salientou que as restrições pareciam o início de medidas “totalitárias”. “Acho que isso vai continuar acontecendo. Continuarão havendo batalhas”, pontuou. O líder religioso classificou a experiência que vivenciou de “ilustração prática de como é tomar uma posição corajosa na Palavra de Deus”.

O pastor albertano Artur Pawlowski também foi preso. Durante dois meses, ele ficou em confinamento solitário por incitar “travessuras” quando participou do “Comboio da Liberdade” que ocorreu ao longo da fronteira EUA-Canadá. O Comboio da Liberdade foi uma manifestação liderada por caminhoneiros contra as restrições da pandemia.

No entanto, os líderes democratas em Ohio consideram a resolução desnecessária. “Devemos abordar as questões que nossos eleitores estão pedindo, como políticas de armas mais rígidas, legislação para proteger os direitos das mulheres e reformar nosso sistema de justiça criminal fraudulento”, analisou a deputada estadual Latyna Humphrey. Ela observou que, “neste momento, estamos nos concentrando em questões que nem estão dentro de nossa jurisdição.”

Com informações Christian Headlines

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se