“Quebrando o silêncio” contra o abuso sexual infantil

Foto: Comunicação Adventista

Campanha “Quebrando o silêncio”, da Igreja Adventista, alerta para o abuso sexual infantil. No Espírito Santo, o Dia D acontece neste sábado (24) a partir das 10h

Em busca de acender um amplo debate e propor métodos para evitar o crescimento da violência sexual infantil acontece simultaneamente em vários países a campanha “Quebrando o Silêncio”. Realizada pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, a campanha direciona a atenção para o tema em busca de evitar que mais crianças e adolescentes integrem estatísticas mundiais.

A iniciativa também visa apresentar caminhos para a recuperação de quem carrega as marcas e dores que resultam do abuso e abrange países da América do Sul.

No Espírito Santo, “Quebrando o silêncio” acontece com várias ações voltadas para a comunidade. São passeatas de conscientização, palestras em escolas e em centros de apoio à crianças e adolescentes de Vitória, capital do Estado.

O dia “D” do Quebrando o Silêncio acontece neste sábado (24) em várias cidades do Estado. Em Cidade Continental, na Serra (ES) acontecerá uma passeata que pretende reunir mais de 300 pessoas. Outros bairros da cidade também ocorrem mobilizações. Em Baixo Guandu, interior do Estado terá um desfile com distribuição de materiais informativos. E em Colatina (ES), haverá passeata.

“Serão entregues materiais instrutivos, como uma revista para adultos e outra para crianças, ambas com ênfase na necessidade de prevenção e conselhos sobre o que fazer para evitar a aproximação de abusadores, por exemplo”, disse Jeanete Souza, coordenadora da campanha no ES.

Conscientização

Durante esta semana, a campanha foi lembrada em várias partes do Brasil. Pais e alunos do Colégio da Faculdade Adventista da Amazônia participaram de uma palestra para conscientizar sobre o abuso sexual infantil. Diego Alexandre Silva, profissional de saúde focado em saúde mental, orientou os pais de alunos sobre o assunto.

“Isso precisa ser falado nas famílias, dentro de casa. Educação sexual não é iniciação sexual. Educação sexual é: ‘quais são as partes do meu corpo e como eu devo cuidar do meu corpo’. Os pais tendem a achar que os filhos sabem onde podem ser tocados. Será que sabem mesmo? Eu espero que os pais entendam que essa responsabilidade é deles”, declarou.

A organizadora do Quebrando o Silêncio para os estados do Maranhão, Pará e Amapá, Ironildes Bussons também comentou sobre o tema.

“É um assunto árido que ao longo dos anos tem sido velado. As vezes a vítima não se manifesta por medo, por não querer expor a família. Mas como cidadãos e cristãos é nosso dever orientar e proteger as crianças. Conscientizar faz parte da proteção, tanto para crianças como para seus responsáveis. Faz parte da identificação de um abusador”, complementou Ironildes.

A campanha

Quebrando o Silêncio é um projeto educativo e de prevenção contra o abuso e a violência doméstica promovido anualmente pela Igreja Adventista em oito países da América do Sul, (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai). A ação acontece desde o ano de 2002.

Desenvolvida durante todo o ano, uma das principais ações da campanha ocorre no quarto sábado do mês de agosto. Este é o “Dia de ênfase contra o abuso e a violência”, quando ocorrem passeatas, fóruns, escola de pais, eventos de educação contra a violência e manifestações na América do Sul.

Prevenção está dentro de casa

*Da redação, com informações de Notícias Adventistas


Leia mais

Quebrando o silêncio em oito países da América do Sul
Duas em cada cinco crianças sofreram abuso sexual
Missão lança Campanha “Luz além do abuso”