Vacinação contra a Gripe é prorrogada

Foto: Divulgação / Sesa

A vacinação visa atingir o grupo prioritário composto por crianças, idosos, gestantes, entre outros

Quem faz parte do grupo prioritário determinado pelo Ministério da Saúde e ainda não se vacinou terá a uma nova chance de tomar a dose da vacina contra a gripe. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, que se encerraria nesta sexta-feira (26) foi prorrogada até o dia 09 de junho e, desta vez, visa alcançar o total do público alvo.

De acordo com os dados do Ministério do Trabalho, até o momento, nenhum grupo prioritário atingiu a meta de vacinação. Os idosos registram a maior cobertura vacinal (67,1%). Em seguida, estão as puérperas (65,4%) e os trabalhadores de saúde (59,4%). Os grupos que menos se vacinaram são indígenas (37,1%), crianças (44,9%), gestantes (49,2%) e professores (52,4%).

Desde que a campanha iniciou no dia 17 de abril, o Espírito Santo registrou 664.359 (68%) pessoas do público-alvo já vacinadas. A meta do Estado era imunizar 998.615 pessoas. Mas muitas pessoas deixaram para procurar as unidades de saúde nesta última semana antes do anúncio da prorrogação.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Danielle Grillo, a baixa na procura pela vacina foi ocasionada por eventualidades, como o surto de febre amarela, que desviou a atenção de muitas pessoas que compõem o grupo prioritário. Entretanto, a coordenadora disse que mesmo com essa questão, os idosos são os que mais buscam pela vacina.

“Mais de 80% do grupo de idosos foi vacinado. Eles buscam pela vacina e fazem questão de serem imunizados. Em contrapartida, o público infantil e as gestantes são os grupos com menor alcance e isso nos preocupa muito. As crianças costumam ter complicações de saúde nesse período  do inverno, passando a serem um forte potencial transmissor do vírus, levando a ter menos benefício para quem não está no público alvo, já que as doses são destinados aos grupos prioritários”, afirmou.

Danielle destacou que a vacina não pode ser vista como uma medida curativa, mas sim preventiva, que visa evitar a forma mais grave da gripe e também complicações que podem surgir por causa da doença. “A vacina leva, no mínimo, 15 dias para fazer efeito, por isso é necessário que as pessoas sejam imunizadas antes que chegue o inverno, que é o período em que mais resultam os casos de gripe”, finalizou.

Público-alvo

Neste ano, o público-alvo para a vacinação são crianças de 06 meses até menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias); trabalhadores de saúde; pessoas com doenças crônicas, como diabetes tipos I e II em uso de medicamento e hipertensão sistêmica com presença de outras doenças; indígenas; pessoas com 60 anos de idade ou mais; professores; população privada de liberdade; adolescentes e jovens sob medida socioeducativa; funcionários do sistema prisional; gestantes; e puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto).

Os professores passaram a integrar o grupo prioritário de vacinação contra influenza este ano. Estão sendo vacinados aqueles que atuam em sala de aula nas escolas públicas e particulares dos ensinos infantil (incluindo os berçaristas), fundamental, médio e superior. Não estão incluídos no grupo os aposentados ou licenciados, nem outros profissionais da comunidade escolar.

 

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!