25.5 C
Vitória
sexta-feira, 19 abril 2024

Bruno Rodrigues e Dourado discutem por pênalti e Pepa reage

Bruno Rodrigues e Dourado discutem por pênalti e técnico do Cruzeiro reage: 'Inadmissível' - Foto: Reprodução
Bruno Rodrigues e Dourado discutem por pênalti e técnico do Cruzeiro reage: 'Inadmissível' - Foto: Reprodução

No segundo tempo, quando o Cruzeiro já perdia por dois gols de diferença, o time mineiro teve um pênalti marcado ao seu favor

A derrota do Cruzeiro para o Fluminense, por 2 a 0, na quarta-feira, no Mineirão, ficou marcada por uma cena lamentável dentro de campo. Os atacantes Bruno Rodrigues e Henrique Dourado, ambos do time celeste, bateram boca pouco antes de uma cobrança de pênalti a favor da equipe mineira. O técnico Pepa mostrou descontentamento na entrevista coletiva, especialmente com Dourado.

“Não vale a pena estar aqui a fazer ‘novelas’ sobre isto. Era o Bruno. Não vou voltar a fugir de questão nenhuma. Não era o Dourado (o batedor oficial de pênalti), portanto, está resolvido Foi inadmissível, mas está resolvido. Isso é o mais importante”, disse o treinador português.

Aos 30 minutos do segundo tempo, quando o Cruzeiro já perdia por dois gols de diferença, o time mineiro teve um pênalti marcado ao seu favor. Bruno Rodrigues, batedor oficial, foi para a bola e Fábio defendeu, mas o árbitro mandou voltar a cobrança argumentando que o goleiro se adiantou.

Na sequência, Henrique Dourado, conhecido pela qualidade na marca da cal, pegou a bola das mãos de Bruno Rodrigues e se recusou a deixar o colega bater. A dupla de atacantes começou a discutir e os jogadores do Cruzeiro precisaram intervir. Bruno Rodrigues bateu novamente e mandou a bola na trave. O camisa 9 chegou a chorar após desperdiçar a segunda chance, sendo consolado por jogadores do Fluminense.

- Continua após a publicidade -

Pelas redes sociais, Henrique Dourado foi se desculpar pela atitude dentro de campo. O atacante reconheceu que a sua abordagem com o companheiro de equipe não foi correta e afirmou que ambos conversaram no vestiário ao fim do jogo e resolveram o problema.

“O Bruno tem todo direito de ficar chateado. Não foi nada pessoal e já encerramos os isto de forma madura. Nosso treinador também já expôs o que aconteceu e respeito como foi colocado”, escreveu.

Com informações Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -