Tragédia em MG – Já são 65 mortes confirmadas

Buscas por sobreviventes continuam. Foto: Reprodução

136 militares israelenses participam da operação de resgate aos desaparecidos do acidente. Liderança evangélica do país levanta um clamor pelas famílias das vítimas de Brumadinho (MG). 

As buscas por vítimas e sobrevivente do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, região metropolitana de belo Horizonte, Minas Gerais, seguem para o terceiro dia. Até o momento, foram registradas 65 mortes (31 identificados), 288 desaparecidos.

Saiba mais sobre o rompimento da barragem

A barragem de rejeitos se rompeu na sexta-feira (25) e ficava na mina de Córrego do Fundão. Por conta da grande quantidade de lama, parte das casas e do centro administrativo da empresa foi devastado. Entre as vítimas estão moradores locais e funcionários da empresa.

Ajuda de Israel
Foto: Forças de Defesa de Israel

Neste domingo (27), 136 militares de Israel chegaram no Brasil para reforçar os trabalhos de resgate.

Eles se juntam aos cerca de 270 brasileiros de vários órgãos que atuam na região da tragédia. A equipe israelense é especializada em resgates e gerenciamento de conflitos.

De acordo com o porta-voz dos bombeiros de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara, não está definido quanto tempo os israelenses vão atuar na região.

Buscas

O tenente Aihara informou que o refeitório em que estavam os funcionários da Vale foi arrastado pela lama e pode ter ido parar quilômetros a frente. A pousada de Brumadinho também foi varrida do local, onde só há presença de lama. Estima-se que havia 35 pessoas no local.

Em entrevista nesta segunda-feira (28), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, afirmou que o apoio dos militares de Israel vai aumentar muito a chance de encontrar novos sobreviventes.

“A presença dos militares israelenses dará mais agilidade para encontrar vítimas. A preocupação é achar os sobreviventes e vítimas e que “donativos não tem feito diferença para melhor”, disse.

Muitas famílias perderam tudo com a tragédia que ocorreu na sexta-feira (25). – Foto: Xinhua/Ernesto Rodrigues/Agência Estado
Operação da Mina

De acordo com nota emitida pela Vale, foram atingidas as instalações de usina, o terminal de carregamento, as oficinas de manutenção e os prédios administrativos da mina do Córrego de Feijão, além de bloqueios no acesso rodoviário da mina até o vilarejo Córrego do Feijão e o acesso da portaria até o trevo de Alberto Flores.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) lavrou, na noite de sexta-feira (25), o primeiro auto de fiscalização determinando a suspensão imediata de todas as atividades da mineradora no local, ressalvadas as ações emergenciais. Além disso, a Semad determinou abertura imediata de um canal onde houve acúmulo de sedimentos que interrompem o fluxo natural do curso d’agua.

Números da tragédia 
  • 60 mortos confirmados – 19 identificados;
  • 292 desaparecidos;
  • 382 localizados;
  • 192 resgatados.
Orações

Diante da tragédia, Igrejas evangélicas do país realizaram clamor de oração em favor das famílias das vítimas. A Convenção Batista Brasileira iniciou uma campanha para levantar recursos para ajudar a população de Brumadinho.

“O que atinge a comunidade local é a tristeza e a incerteza do momento e do futuro. A Palavra de Deus ajuda nestas situações”, declarou o diretor executivo da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), Erní Seibert. Ele

Reunião de 15 entidades cristãs, na SBB de Belo Horizonte, organizando o plano de ação para o trabalho em Brumadinho. Foto: Facebook

Pelas redes sociais, vários pastores se manifestaram com apoio e palavras de conforto.

“Lamentamos mais uma tragédia como essa ocorrer em nosso estado. Toda nossa solidariedade e todas as nossas orações às vítimas e familiares dessa calamidade. Faremos o que estiver ao nosso alcance para dirimir todo esse sofrimento causado pelo rompimento desta barragem”, escreveu o pastor Stefano Aguiar, da Igreja Evangélica Quadrangular, de Belo Horizonte (MG).

A liderança evangélica de Brumadinho (MG) também se manifestou. “Para vocês que estão de longe, mas não tem ideia da dimensão da tragédia. É muito mais do que está sendo falado. Alguns membros de nossa igreja estão entre os desaparecidos. Não está sendo fácil esse momento em nossas instituições religiosas, mas contamos com a graça e a bondade de Deus. Então, peço aos irmãos que intercedam em favor de nós”, conclamou o pastor Amadeu de Almeida Filho, da Assembleia de Deus na cidade.


Leia mais

Israel busca fortalecer relações com o Brasil

Aproveite as promoções especiais na Loja da Comunhão!