22.9 C
Vitória
sexta-feira, 17 setembro 2021

Brasil fica em 54º lugar em Ranking global de solidariedade

Mais da metade (55%) dos adultos do mundo relataram ter ajudado alguém que não conheciam em 2020

Por Marlon Max

O Brasil ficou em 54° lugar no Ranking Global de Solidariedade (World Giving Index, em Inglês. A pesquisa é uma iniciativa da organização britânica Charities Aid Foundation (CAF), representada no Brasil pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social. Em 2021, o título de país mais solidário do mundo ficou com a Indonésia.

O levantamento é feito anualmente há mais de 10 anos. Os pontos avaliados levam em consideração valores doados para causas humanitárias, horas empenhadas em trabalho voluntário e ajuda a pessoas desconhecidas. Apesar de estar longe do topo no ranking, o Brasil melhorou 14 posições em relação aos dados de 2018 e 20 posições em relação a sua posição média nos últimos 10 anos.

Para a elaboração da pesquisa deste ano, a Charities Aid Foundation (CAF), levou em conta fatores gerados pela pandemia. De acordo com o World Giving Index 2021, a pandemia gerou a mobilização de 3 bilhões de pessoas no mundo. “O significado e a importância dessa capacidade de agir além das fronteiras tornou-se mais evidente do que nunca durante a pandemia de Covid-19, como sociedades e comunidades em todo o mundo precisam de apoio ou estão em posição de oferecê-lo a outras pessoas”, explica o porta-voz da CAF.

Dois países asiáticos: o mais e o menos generoso

A Indonésia é classificada em primeiro lugar no Ranking Global de Solidariedade. De acordo com a pesquisa, mais de oito em cada 10 indonésios doaram dinheiro em 2021 e a taxa de voluntariado do país é três vezes maior que a média global.

graficos ranking paisesFamoso por ser um povo amistoso e agradável destino turístico, o Japão ocupou o último lugar do ranking em 2021, como o país menos generoso do mundo. Pela primeira vez, 5 das principais economias ocidentais saíram do Top 10 dos países mais generosos.

A pesquisa deste ano destaca o impacto do lockdown em países que por anos lideraram o ranking da generosidade: Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Irlanda e Países Baixos tiveram todos uma queda significativa em suas pontuações. Apenas Austrália e Nova Zelândia, onde a pesquisa foi realizada nas semanas anteriores ao início da primeira onda da pandemia, mantiveram-se entre as 10 primeiras colocações.

Conduzido desde 2009, o CAF já entrevistou mais de 1,6 milhão de pessoas e faz a cada uma delas três perguntas: você ajudou um estranho, doou dinheiro a uma organização social ou fez algum tipo de trabalho voluntário no mês passado? Nesta edição, foram incluídos os dados de 114 países, representando mais de 90% da população adulta global. Foram entrevistadas pessoas acima de 15 anos, nível de confiança da pesquisa é de 95%.

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se