Cristãos continuam sendo alvos na Síria

Foto: Reprodução

As comunicações interceptadas mostraram que os jihadistas visavam uma reunião de “cristãos beligerantes”

Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas em um carro-bomba em frente a uma igreja cristã síria em uma cidade de maioria curda no nordeste da Síria, enquanto pelo menos outras 13 pessoas foram mortas em outro carro-bomba em Afrin.

Segundo informações da mídia estatal síria, o Estado Islâmico (também conhecido como ISIS, ISIL ou Daesh) assumiu a responsabilidade pelo carro-bomba em frente à Igreja Ortodoxa em Qamishli, uma cidade localizada ao longo da fronteira nordeste da Síria com a Turquia.

As informações são de que 11 pessoas ficaram feridas no bombardeio e os carros foram danificados. As comunicações interceptadas pelo site Intelligence Group mostraram que os jihadistas estavam visavam uma reunião de “cristãos beligerantes”, ou seja, em conflito.

Segundo a mídia, o portão da frente da igreja estava amassado, mas o prédio da igreja não sofreu danos estruturais.

“Um carro-bomba detonou na Igreja em minha cidade de Qamishli, na Síria, hoje ferindo quase uma dúzia de pessoas, incluindo uma criança de 8 anos”, escreveu um cristão ortodoxo sírio assírio no Twitter. “Espero por um dia em que nunca mais ouço notícias como esta novamente. Ore pelo meu povo, por favor.”

ConflitoS

Embora a Síria tenha sido dilacerada por um conflito civil desde 2011 e tenha lidado com a presença do extremismo religioso,   da nação como refugiados em busca de uma vida melhor em outros lugares. Mas, de acordo com a International Christian Concern (ICC), os cristãos em Qamishli mantiveram uma presença mais forte na cidade do que na maioria dos outros locais em toda a Síria.

A ICC, um grupo de defesa de Washington, afirma que os bombardeios de quinta-feira ressaltam a volatilidade da Síria.

“Nossas orações estão com as vítimas e famílias das pessoas afetadas pelo carro-bomba em Qamishli. Esse tipo de ataque serve como um lembrete para todos os cristãos sírios sobre quanto trabalho precisa ser feito para proteger suas vidas e seus direitos”, disse. Gerente Regional da ICC, Claire Evans.

“O conflito sírio está em constante evolução, e os cristãos são sempre deixados na mira de facções opostas. Devemos trabalhar para garantir que qualquer solução para o conflito preserve um lugar para os cristãos na sociedade.”

Qamishli não foi a única cidade síria vitimizada por um bombardeio. Os relatórios indicam que 13 pessoas morreram e outras 30 foram feridas por um carro-bomba que ocorreu na cidade de Afrin, no noroeste do país, uma cidade que foi capturada por rebeldes apoiados pela Turquia no ano passado e agora administrada por forças turcas e rebeldes sírios.

O bombardeio ocorreu em um posto de controle tripulado pelos rebeldes apoiados pela Turquia. Entre os mortos estavam oito civis, dois deles crianças, e quatro militantes, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede na Grã-Bretanha.

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade pelo carro-bomba da Afrin.

Recorrências

Afrin foi vítima de um atentado em dezembro passado, que tirou a vida de nove pessoas e outra em janeiro, que tirou a vida de três pessoas.

Em março, foi relatado que cinco crianças foram mortas enquanto brincavam perto de um mosteiro na cidade cristã de al-Suqaylabiyah, na Síria.

Mais de 100 pessoas foram mortas nos últimos dias, enquanto as lutas entre as forças do regime e os grupos rebeldes surgiram na última quarta-feira no noroeste da Síria. Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, 57 dos mortos foram forças do regime de Assad, enquanto 44 eram rebeldes ou jihadistas.

“A luta continua enquanto os aviões do regime e a artilharia batem na área”, disse o chefe do Observatório, Rami Abdel Rahman, segundo a agência de notícias curda Rudaw.

Desde o início da guerra civil na Síria, há oito anos, mais de 370.000 pessoas foram mortas.

EUA

No ano passado, o presidente Donald Trump prometeu retirar todas as tropas terrestres dos EUA da Síria.

Essa foi uma decisão impopular entre alguns dentro de seus conservadores evangélicos, segundo os quais a retirada “plena” e “rápida” das tropas americanas poderia colocar as comunidades cristãs no norte da Síria em “perigo mortal”.

Além disso, houve algumas especulações de que a decisão de retirar as tropas da Síria foi o que levou a decisão do ex-secretário de Defesa James Mattis de se aposentar.

*Com informações de Christian Today.


LEIA MAIS

O avivamento do cristianismo na Síria
Guerra na Síria completa 8 anos