Bolsonaro defende “Lava-Jato da Educação”

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Segundo o presidente, dados iniciais ‘revelam indícios muito fortes de que a máquina está sendo usada para manutenção de algo que não interessa ao Brasil’

Rio — O presidente Jair Bolsonaro defendeu a Lava-Jato na Educação, em uma publicação em seu Twitter. Segundo ele, dados iniciais da investigação “revelam indícios muito fortes de que a máquina está sendo usada para manutenção de algo que não interessa ao Brasil”. Disse ainda que o trabalho da Lava-Jato no setor educacional “pode acarretar greves e movimentos coordenados prejudicando o brasileiro”.

O presidente afirma que o Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB que a média de países desenvolvidos, mas ainda assim ocupa as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA).

Bolsonaro disse  que o Ministério da Educação, junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União, já criaram a Lava-Jato da Educação.

Em fevereiro, o presidente já havia dito em seu Twitter que era preciso, além de investir em eduação, “garantir que investimentos sejam bem aplicados e gerem resultados”, e que o MEC já havia apurado “indícios de corrupção no âmbito do ministério em gestões passadas”.

*Com informações das agências


Leia mais

Ministro da Educação esclarece envio de carta às escolas
Professora brasileira disputa o “Nobel da Educação”