21.2 C
Vitória
domingo, 9 maio 2021

Em culto, Bolsonaro diz: “Se Deus quiser teremos lá um pastor”

Presidente participou do culto de ações de graça pelo aniversário do presidente de honra da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), Welington Bezerra da Costa

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta segunda-feira (5) em São Paulo, que a próxima indicação dele ao Supremo Tribunal Federal (STF) deve ser um evangélico. “Imaginem as sessões daquele Supremo Tribunal Federal começando com uma oração. Tenham certeza de uma coisa: isso não é mérito meu. É a mão de Deus”, declarou.

O chefe do Poder Executivo fez a declaração por ocasião do culto de ações de graças pelo aniversário do pastor José Wellington Bezerra da Costa, ex-presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), que aconteceu na Assembleia de Deus, Ministério do Belém, em São Paulo.

A declaração de Bolsonaro foi feita para acalmar aliados, insatisfeitos com a indicação do desembargador Kassio Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga do ministro Celso de Mello, que se aposentará por invalidez no dia 13 de outubro. Um dos principais incomodados é o pastor Silas Malafaia.

“Precipitados”

No breve discurso, o presidente afirmou afirmou que os líderes que o criticaram foram “um pouco precipitados” e que seu compromisso de indicar um jurista “evangélico” será cumprido, na vaga que abre em julho de 2021, quando o ministro Marco Aurélio Mello deverá ser aposentado compulsoriamente.

No culto, Bolsonaro também foi além. Disse que se tudo correr como imagina, o indicado deverá ser um pastor. “Alguns, um pouco precipitados, achavam que deveria ser a primeira vaga, que acabei de indicar. Na segunda vaga, que será em julho do ano que vem, com toda certeza, mais que um terrivelmente evangélico, se Deus quiser, teremos lá dentro um pastor”, disse.

Aniversário pastor José Wellington

O culto foi uma comemoração ao pastor Wellington Bezerra da Costa, presidente de honra da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). Ele comanda o Ministério do Belém, a maior ramificação da Assembleia de Deus, há décadas.

A CGADB é responsável pela gestão da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), além do patrimônio que inclui uma fundação educacional, hospitais e creches. Ao todo, a denominação tem mais de 12 milhões de fiéis em todo o país.

Autoridades

Acompanharam o presidente a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e os pastores e ministros da Educação, Milton Ribeiro, da Igreja Presbiteriana, e da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, da Igreja do Evangelho Quadrangular, conforme informações da revista Crusoé.

Além deles, estiveram presentes os candidatos a prefeito de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos), que lidera das pesquisas e agora conta com o apoio formal de Bolsonaro na disputa; Bruno Covas (PSDB), que tenta a reeleição; e Andrea Matarazzo (PSD), que tem como candidata a vice a deputada estadual Marta Costa (PSD), filha do pastor José Wellington Bezerra da Costa, homenageado da noite.

Veja o culto

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se