Bolsonaro ganha honraria “Amigos de Sião”

Bolsonaro durante visita à Israel. Foto: Reuters

A honraria é entregue a personalidades públicas e chefes de Estado que ajudam a promover o país.

Jerusalém – O presidente Jair Bolsonaro é mais um brasileiro que entra para os homenageados do Museu Amigos de Sião, em Israel. Ele foi contemplado com o título “Amigos de Sião”. A condecoração é concedida aos líderes mundiais que foram “acima e além” para o Estado de Israel.

A honraria, que foi na última segunda (1º), é concedida pelo Ministério de turismo do país. Apenas personalidades públicas e chefes de estado não judeus se tornam Amigos de Sião.

Nos últimos meses, o presidente Bolsonaro reafirmou seu apoio ao Estado de Israel. Ele também confirmou seu compromisso com o fortalecimento das relações entre o Brasil e Israel, anunciando posteriormente que seu país irá estabelecer uma missão econômica em Jerusalém, a capital de Israel.

Foto: Facebook

O Brasil também desempenhou um papel no estabelecimento do Estado de Israel.

Em 1947, o Brasil votou a favor do plano de partição da ONU, apoiando a criação de um Estado Judeu na Terra de Israel.

O Embaixador Osvaldo Aranha, chefe da Delegação Brasileira, foi um dos principais defensores do plano.

O cantor Chris Duran recebeu a honraria em agosto do ano passado.

Além dele, o deputado federal Marco Feliciano. Também foram contemplados o cantor Michel W. Smith e os presidentes Donald Trump (EUA), Horácio Cartes (Paraguai) e Jimmy Morales (Guatemala).

Museu

O Museu dos Amigos de Zion ultrapassou recentemente 58 milhões de membros, tornando-se um dos maiores sites pró-Israel do mundo. De acordo com Dr. Mike Evans, “entre os 58 milhões de amigos nas redes sociais, milhões de seus apoiadores vêm do Brasil, que é a quinta maior nação do mundo”.

O Museu Amigos de Zion revela histórias fascinantes enfatizando o apoio e o heroísmo dos muitos amigos do Povo Judeu e do Estado de Israel. Ele serve como um portal para combater o antissemitismo global e o movimento BDS.

Junto com o conhecido ex-presidente, o falecido Presidente Shimon Peres, nosso conselho tem a honra de incluir o general Yossi Peled, diretor do Conselho do Museu dos Amigos de Zion.

O Centro de Memória dos Amigos de Zion é um projeto de 100 milhões de dólares que se tornou uma das principais instituições do Estado de Israel, influenciando o mundo e fortalecendo as relações de Israel globalmente, bem como os pilares da sociedade israelense.

*Com informações de PRNewswire


Leia mais

EUA: Liderança evangélica ora por Bolsonaro
Brumadinho – Brasil condecora militares israelenses