20.7 C
Vitória
quarta-feira, 25 maio 2022

Bolsonaro afirma que jogos de azar “não são bem-vindos no Brasil”

Foto: Reprodução

O tema está em discussão no Congresso Nacional, e os evangélicos são contrários à aprovação. Ele antecipou que deputados afirmam que aprovarão o PL

Por Patricia Scott 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deixou claro, nesta segunda-feira (17), que não é a favor da liberação dos jogos de azar no Brasil. O tema está em debate no Congresso Nacional, em Brasília. Os evangélicos são contrários à aprovação, porque entendem que o vício prejudica as famílias, que é uma instituição criada por Deus e a base da sociedade.

Durante entrevista à rádio Viva FM, do Espírito Santo, Bolsonaro antecipou que, se caso o projeto seja aprovado, não irá aprová-lo. No entanto, o chefe do Executivo destacou que o veto pode ser derrubado no Congresso Nacional.

Bolsonaro enfatizou também, na entrevista, que deputados afirmam que aprovarão o projeto. Eles ainda pontuam, segundo o presidente, que há maioria suficiente para derrubada de um possível veto. “Os jogos de azar não são bem-vindos no Brasil. Alguns falam que no começo seriam os grandes cassinos, não estariam abertos às pessoas mais humildes, mas é uma porteira que se abre e não sabemos o que pode passar por ela”.

Aliado de Bolsonaro, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), deve pautar, a partir de fevereiro, o projeto da legalização dos jogos de azar. Isto porque é o mês que termina o recesso parlamentar. Os deputados aprovaram um requerimento de urgência, em dezembro, para a tramitação da proposta diretamente no plenário da Casa. Foram 293 votos a favor, 138 contra e 11 abstenções.

Desde 1946, os jogos de azar são proibidos no Brasil. Na época, o então presidente da República Eurico Gaspar Dutra frisou que a “tradição moral, jurídica e religiosa” do Brasil não combinava com a prática. Ele também considerava “nocivos à moral e aos bons costumes”. Ao longo dos anos, diversas propostas já foram apresentadas para legalizar a jogatina. No entanto, nenhuma avançou no Congresso Nacional.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se