21.9 C
Vitória
segunda-feira, 20 setembro 2021

Bill Johnson: conselhos indispensáveis para recém-casados

“Com um novo casamento nascem infinitas possibilidades de se amar e honrar a Deus, essa é a vontade Dele para nós”

Por Marlon Max

Casamento é um plano de Deus para a humanidade. A Bíblia mostra isso em diversas passagens e deixa claro qual é o modelo que casais cristãos devem seguir se pretendem ter um casamento frutífero e saudável. Mas após o “eu vós declaro marido e mulher”, começa uma verdadeira aventura cheia de desafios inesperados. Nessa jornada, alguns casais se perdem logo no começo, diversas vezes por falta de bons conselhos e acompanhamento.

De acordo com Bill Johnson, da Bethel Church, nos Estados Unidos, os recém-casados precisam estar atentos aos pequenos problemas que surgem na relação logo no início da vida a dois e agir intencionalmente. A maioria das questões que parecem ser enormes, podem ser remediadas, afirma o pastor. O primeiro fundamento em um relacionamento é humildade. “Ser humilde é a primeira coisa em um bom relacionamento. É necessário desistir da ideia de estar sempre certo. Você precisa valorizar mais a outra pessoa do que a sua opinião”, aponta.

Como a fase inicial do casamento por ajustes, conflitos e correções, andar em sintonia e dar passos na mesma direção, é a garantia de que o casamento poderá resistir aos maus momentos. “Toda vez que um casal tem um conflito e eles não estão lado a lado apontando para o problema, eles acabam atingindo uns aos outros”, explica Johnson.

De acordo com o pastor da Bethel, a primeira coisa que ele faz quando aconselha novos casais é ajudá-los a isolar o problema e entender que o outro não é a causa do problema, mas pode ser a solução. Ao mesmo tempo, Johnson explica que é preciso amar profundamente a Deus.

“Se eu amo a Deus sobre todas as coisas, então existirá mais amor para amar minha esposa. Mas se eu coloco minha companheira num patamar acima de Deus, fica impossível para ela me satisfazer, porque só Ele consegue”, diz.

Alguns casais começam desajustados porque não há entendimento sobre quem lidera o lar e como lidera. Segundo o pastor Bill, o aconselhável é que a necessidade por independência seja esvaziada. “Não é sobre quem manda e quem obedece, mas é a noção de que os dois trabalham como uma equipe. O amor é o que torna essa dinâmica possível, de outra forma os dois viverão frustrados sem conseguir atingir as expectativas que um tem sobre o outro”, conclui.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se