22.1 C
Vitória
quinta-feira, 11 agosto 2022

Debate nos EUA: Transgênero na pauta de Biden

Biden
Foto: AFP

Decisão de Joe Biden sobre pessoas transgênero nos EUA sugere debate em outros países. É que o presidente revogou decisões de Trump, que proibia a atuação do gênero nas Forças Armadas

Por Keila Lopes

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou uma série de documentos, logo após a posse, que significou a revogação de atos assinados por seu antecessor, Donald Trump. Um dos documentos está relacionado às pessoas transgênero nas Forças Armadas americanas.

A ordem assinada pelo presidente americano devolve ao grupo a possibilidade de atuar nas Forças Armadas do país, posição que havia sido impedida por uma proibição de Donald Trump, em vigor desde março de 2018. A assinatura de Biden é o cumprimento de uma promessa de campanha eleitoral.

Também tem gerado debate o fato de outro documento assinado, no dia da posse, que trata sobre a ideologia de gênero.

A tratativa recomendada por Biden, é que as crianças devem focar em estudar e não se preocupar se devem usar banheiro masculino ou feminino.

Além disso, o texto cita que as pessoas devem ter livre acesso para escolher atividades de acordo com o sexo que se identificam fato que, tem gerado críticas por parte de quem considera ameaça a privacidade e segurança.

A luz da Bíblia

O ato de Biden, segundo especialista na área de família, abre caminho para outras questões relacionadas à ideologia de gênero.

“É algo que preocupa porque os Estados Unidos é o espelho para o mundo, e com isso, acredito que esta visão do Biden, abre a “porteira” para todos, assim como está liberado o transgênero nas Forças Armadas, também será nas escolas e nos estádios, por exemplo, e não tenho dúvida de que nós teremos um desafio muito grande como igreja e família,” disse Márcio Kirchmeyer, Pastor do Ministério de Família.

O pastor ressalta ainda, que o tema existente e passível de inúmeras discussões de vários grupos, mas não depende da decisão de autoridades políticas e religiosas. “Esta questão está muito bem definida em Genesis 1 e 2, na criação do homem, mulher e a família, então, não há dúvidas”, completou.

A decisão de Joe Biden, neste quesito é contrária às diversas mudanças feitas por Donald Trump, consideradas um enfraquecimento das causas LGBTQIA+, no entanto, apoiadas por grupos conservadores.

O tema nas redes sociais

Logo após a assinatura dos documentos a hashtag #BidenErasedWomen, foi destaque nas redes sociais acompanhadas de críticas que trataram sobre o retrocesso nos direitos das mulheres, em relação a presença de pessoas com a fisiologia masculina em jogos esportivos. Além disso, a discussão em torno do assunto sugere uma exclusão do espaço conquistado pelas mulheres.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se