22.7 C
Vitória
quarta-feira, 29 junho 2022

BC/Guardado: próximos trimestres devem ser de desaceleração global

"A terceira fase da pandemia, que estamos passando agora, é de reversão das políticas monetárias", pontua Guardado - Foto: Marcello Casal Jr Agência Brasil

“A terceira fase da pandemia, que estamos passando agora, é de reversão das políticas monetárias”, pontua Guardado

A diretora de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos do Banco Central, Fernanda Guardado, destacou na terça-feira (21) que é esperado desaceleração da atividade global e também no Brasil nos próximos trimestres, após um começo de ano melhor que o previsto no País.

A avaliação repete comentário do BC na ata do Comitê de Política Monetária (Copom) de junho nesta manhã, de que o colegiado já “antecipa” desaceleração global devido às tensões geopolíticas e o aperto monetário no mundo. Da mesma forma, o Copom destacou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve arrefecer nos próximos trimestres, com efeitos defasados da alta de juros.

“A preocupação com maior inflação em décadas no mundo tem afetado a formação de expectativa de famílias. O estágio atual de inflação requer política monetária mais apertada também em países desenvolvidos”, disse, em participação em painel do evento Semana Brasil — OCDE, organizado pelo governo federal e pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Segundo Guardado, a característica mais importante do ambiente global nos últimos anos é a razoável sincronia nas políticas contracíclicas pelos BCs e governos, que tem acentuado reações de mercados e economias. “A terceira fase da pandemia, que estamos passando agora, é de reversão das políticas monetária, em maior medida, e fiscal.”

Informações de Agência Estado.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se