back to top
27.9 C
Vitória
domingo, 16 junho 2024

BBB coloca o crente em paredão do mal

O BBB24 teve a pior estreia em todas as suas edições, com 22 de pontos de audiência. Foto: Reprodução/Globoplay

O Big Brother Brasil, que estreou na última segunda-feira (8), deveria ser evitado por aqueles que buscam a consagração de sua vida espiritual

Por Cristiano Stefenoni

E você, evangélico, se pudesse escolher, entre o bem e o mal, até onde iria a sua fé? Curiosamente, essa pergunta – uma alusão a letra da música “Vida Real”, de Paulo Ricardo – é tema de um dos programas de TV mais polêmicos entre os crentes: o Big Brother Brasil, que estreou na última segunda-feira (8). Enquanto para uns trata-se apenas de mais um programa de entretenimento, para outros, é uma fábrica de bobagens para desperdiçar tempo. Mas afinal, assistir ao BBB realmente prejudica a vida espiritual?

Apesar de ter a pior estreia em todas as suas edições – com 22 de pontos de audiência, bem longe dos 48,7 pontos de quando estreou em janeiro de 2002 (Ibope/NaTelinha) – o Big Brother ainda arrasta uma multidão de audiência e dinheiro. Só nessa 24ª edição, por exemplo, o reality exibido pela Rede Globo já faturou R$ 1,26 bilhão em patrocínios, segundo informações do Meio & Mensagem.

Com um prêmio que pode chegar a R$ 3 milhões para o vencedor e com previsão de encerrar em meados de abril deste ano, o fato é que o BBB ainda promete gerar muitos debates acalorados nas redes sociais, inclusive, entre os crentes.

- Continua após a publicidade -

Contudo, a orientação para os que professam uma fé genuína é evitar esse tipo de conteúdo, e os motivos vão desde a perda de tempo com algo que não agrega em nada até a assimilação de ideologias e comportamentos que estão completamente fora dos valores pregados na Bíblia.

“Poder assistir pode, mas não convém, pois não edifica em nada. A Bíblia diz: ‘Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. Mas, se os seus olhos forem maus, todo o seu corpo será cheio de trevas’ (Mateus 6:22-23)’”, alerta o pastor Jorge Linhares, presidente da Igreja Batista Getsêmani e do Conselho de Pastores do Estado de Minas Gerais (CPEMG).

De acordo com o pastor, quanto mais tempo gasto com esse tipo de programa, menos tempo sobra para investir em si próprio. “Se já é difícil cuidar na da nossa própria vida, imagina gastar tempo se preocupando e espiando a vida alheira? Isso é para gente desocupada”, afirma.

Além disso, ele cita as palavras de Paulo em Romanos 14:12, onde diz que “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” e ressalta que os princípios cristãos estão muito longe do que é exibido no BBB.

“Devemos olhar para Jesus. Quando o cristão assiste ao BBB, ele quer ver algo que não se identifica, já que o padrão do mundo é bem diferente do que está nas Escrituras. Não há limites, o sexo é livre, fofocas, contenda, invejas, disputas, tudo por dinheiro. A televisão vende audiência. Quanto mais audiência, mais lucro para eles”, justifica Linhares.

O pastor lembra ainda que em países de primeiro mundo onde se investe em educação e cultura, esse tipo de reality está em decadência e que nosso tempo é precioso demais para ser desperdiçado com qualquer coisa. “Use o tempo para estudar para passar em um concurso público, fazer uma faculdade, ter novas amizades, se reunir em família, algo cultural. Caso vá assistir algo na TV, que seja edificante para você e que possa ser repassado para os outros”, finaliza.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -