22.9 C
Vitória
domingo, 22 maio 2022

Banheiro de ‘luxo’ do período do Primeiro Templo é encontrado em Israel

Banheiro da e´poca dos Reis de Judá é encontrado em Jerusalém - Foto: Israel Antiquities Authority

Foram também descobertas evidências de um jardim com árvores frutíferas e outras plantas, símbolo da outrora “mansão exuberante”

Por Patricia Scott 

Durante uma escavação arqueológica em Jerusalém, foi descoberto, recentemente, um banheiro privativo de 2.700 anos. Um verdadeiro símbolo de riqueza na Antiguidade.

“É fascinante ver como algo que é óbvio para nós hoje, como banheiros, era um item de luxo durante o reinado dos reis de Judá”, pontuou Eli Eskosido, diretor da Autoridade de Antiguidades de Israel ao The Times of Israel. E frisou: “Jerusalém nunca para de surpreender. Só podemos imaginar a vista deslumbrante”.

A Autoridade de Antiguidades de Israel divulgou que o cômodo esculpido era de calcário liso, sendo projetado para ser confortável, como uma fossa cavada por baixo. Ele remota aos dias do Primeiro Templo. Acredita-se que pertença a uma “antiga propriedade real” que funcionou no século 7 a.C, sugeriu a Autoridade de Antiguidades de Israel. A descoberta ocorreu em uma escavação no bairro de Armon Hanatziv. Local onde se pretende construir um complexo turístico.

Descoberta do período dos reis de Judá – Foto: Israel Antiquities Authority

De acordo com Yaakov Billig, diretor da escavação da Autoridade de Antiguidades de Israel, “um cubículo de banheiro particular era muito raro na antiguidade. Apenas alguns foram encontrados até hoje. A maioria deles na cidade de Davi”. O especialista pontuou ainda que somente os ricos podiam pagar banheiros.

Os arqueólogos descobriram capitéis de pedra, ao lado do banheiro, que antes ficavam no topo das colunas, bem como pequenas colunas arquitetônicas que serviam como grades para as janelas. Foram encontradas ainda evidências de um jardim com árvores frutíferas e outras plantas, símbolo da outrora “mansão exuberante”.

Os arqueólogos também descobriram vários fragmentos de cerâmica e ossos de animais embaixo do vaso sanitário. Eles esperam que isso possa lhes ensinar “os estilos de vida e dietas do povo do Primeiro Templo, bem como doenças antigas”, afirmou um funcionário da IAA.

Com informações The Times of Israel

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se