O avanço do cristianismo na Argentina

A marcha pra Jesus é um dos eventos realizados no país, que reúne uma multidão de evangélicos. Foto: Reprodução

Desde 2001, a Argentina vive em crise e mesmo assim, houve um avanço evangélico no país, que representam agora 15,3% da população

“Senhor Jesus Cristo, a partir de hoje tu serás minha Cidade Refúgio”, exclama um pastor, despertando o fervor de milhares de seguidores em um antigo cinema de um bairro popular na província de Buenos Aires. É o cristianismo, que vem avançando na Argentina.

Esta semana, o governo publicou os números da Segunda Pesquisa Nacional sobre Crenças e Atitudes Religiosas. É uma pesquisa detalhada que compara a evolução social e religiosa dos argentinos nos últimos 11 anos. Os dados apontaram que o número de evangélicos aumentou de 9% em 2008 para 15,3% em 2019.

Enquanto isso, a Igreja Católica perdeu membros. Em 2019, 76,5% da população identificada com a religião, caiu para 62,5%. O declínio é mais acentuado se a afiliação católica for comparada à década de 1960, que correspondia em 90% da população.

Por outro lado, quase 2 em cada 10 cidadãos argentinos dizem agora que não se identificam com uma religião (18,9%), um aumento significativo em comparação a 2008 (10%).

Debate sobre aborto 

A pesquisa oficial também perguntou aos argentinos questões controversas, como o aborto. No momento, a maioria está longe de ter uma mentalidade pró-vida. Pelo menos 18,7% da população é contra sob quaisquer circunstâncias. Por outro lado, 27,3% acreditam que o aborto deve ser um direito das mulheres.

A pesquisa mostra que os evangélicos são mais claramente pró-vida. 4 em 10 se opõem totalmente ao aborto e apenas 7,3% dizem que deve ser um direito das mulheres.

Cultura cristã

A Argentina continua sendo um país com maioria que se identifica com a cristandade. A pesquisa apontou que 82,9% dizem que têm algum grau de devoção por Jesus Cristo. E 81,9% acreditam em Deus e 75,9% no Espírito Santo. Embora todas as três crenças tenham diminuído desde 2008.

O fato de os cidadãos se identificarem com o catolicismo e o evangelicalismo não significa que eles são cristãos comprometidos com uma implicação regular em uma igreja local. Os números mostram que há cada vez mais pessoas que ignoram a igreja e adotam crenças “à la carte”.

Transformação espiritual

Os evangélicos se definem como pessoas que alcançam uma “transformação espiritual através do Espírito Santo”. Para eles, os dons do Espírito Santo incluem a capacidade, por exemplo, de curar doenças ou profetizar.

“Eu vivia jogada em uma cama, trancada até que conheci Deus”, conta Evel Lorena, de 48 anos. Do lado dela, o marido, Alfredo Mendoza, relata o período em que viveu na “escuridão”, após ter ficado desempregado, e como tudo mudou.

“Hoje, tenho um trabalho muito bom graças a Deus”, diz o motorista de caminhão. Carbonelli adverte que não é para qualquer um: “exigem uma vida familiar, sexual, que nem todo mundo está disposto a seguir”.

*Com informações de Evangelical Focus 


leia mais

Na Argentina, 25 mil cristãos oram nas ruas da capital