Austrália reconhece Jerusalém como capital de Israel

Foto Reprodução

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, anunciou neste sábado (15) o reconhecimento de Jerusalém Ocidental como capital de Israel, embora por enquanto manterá sua Embaixada em Tel Aviv.

“O governo australiano decidiu que a Austrália reconhecerá Jerusalém Ocidental, onde fica a sede do Knesset (Parlamento de Israel) e de muitas das instituições governamentais, como a capital de Israel”, disse Morrison em discurso no Instituto de Sydney.

Morrison declarou que a mudança da Embaixada de Tel Aviv para Jerusalém Ocidental será realizada quando for “prático”, embora tenha adiantado que seu governo já está procurando uma sede.

“Reconhecendo o nosso compromisso com uma solução de dois estados, o governo (australiano) também tem a intenção de reconhecer as aspirações dos palestinos de um futuro estado com sua capital em Jerusalém Ocidental”, ressaltou Morrison.

O presidente insistiu que a decisão respeita o compromisso australiano com a solução dos dois estados, assim como as resoluções do Conselho de Segurança (das Nações Unidas).

“O que queremos dizer é que temos que continuar avançando. Esta estagnação rançosa deve ser rompida”, disse Morrison ao justificar a decisão, que foi criticada pela oposição trabalhista e causou atritos com a Indonésia, um histórico aliado da Palestina.

Criticas

A Jordânia criticou declaração do primeiro ministro de reconhecer Jerusalém como capital. Em comunicado oficial, o ministro das relações exteriores. A Liga Árabe também condenou a decisão da Austrália. E disse que vai mantersua e baixada em Tel Aviv.

*Com informações da Agência EFE


Leia mais

EUA inauguram embaixada em Jerusalém
Lideranças evangélicas querem embaixada brasileira de Israel para Jerusalém