Deputados querem aumentar a bancada evangélica em 2018

Bancada Evangélica da Câmera dos Deputados. Foto: Google

Intenção é eleger 150 deputados e 15 senadores este ano. Líderes e partidos tentam articular formas de concentrar os votos em poucos candidatos para aumentar as chances de eleição

O objetivo de alguns líderes religiosos é aumentar a Bancada Evangélica. A expectativa é que em outubro, cerca de 165 parlamentares evangélicos sejam eleitos entre Câmara dos Deputados e Senado. Partidos políticos estão de olho no voto desse grupo religioso, que representa quase 30% da população brasileira.

De acordo com informações do jornal Valor Econômico, a expectativa das lideranças evangélicas na política é que o número de deputados federais ligados às igrejas suba de 93 para 150, e que no Senado o número seja quintuplicado, saindo de três para quinze parlamentares.

Articulações

Segundo o jornal Valor Econômico, desde outubro um grupo de líderes evangélicos tem se encontrado para debater estratégias. A intenção é aumentar a participação na política. O esforço para alcançar a meta no Senado envolve um acordo entre diferentes partidos e denominações evangélicas.

O objetivo é lançar um candidato por estado. Isso evita que dois evangélicos “canibalizem” os votos entre si. Em 2018, dois terços do Senado poderão ser renovados. Em relação à Câmara dos Deputados, a ideia é que em cada estado sejam lançados poucos candidatos. A intenção é evitar que os votos sejam divididos entre os postulantes e só uma fração termine eleita. Ambas as estratégias são consideradas pelos analistas políticos como difíceis de serem implementadas.

Deputados Federais
Deputado federal Sóstenes Cavalcante . Foto: Google

Os principais articuladores são representantes das igrejas Batistas, Assembleia de Deus, Evangelho Quadrangular, Universal do Reino de Deus, Internacional da Graça de Deus, Mundial do Poder de Deus, Fonte da Vida e Sara Nossa Terra. Nomes como o senador Magno Malta (PR-ES) e os deputados João Campos (PRB-GO), Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) e Antonio Bulhões (PRB-SP) são protagonistas nas conversas.

Senadores
Deputado Federal Marco Feliciano. Foto: Google

Em relação ao Senado, o pastor Sóstenes Cavalcante, afilhado de Silas Malafaia, acredita que é preciso dar um passo além. “Estamos muito descobertos no Senado, com apenas três senadores”, disse. O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) é um dos nomes sondados. “Meu sonho é o Senado. Mas, se não houver uma boa articulação entre as igrejas, não vou trocar o certo pelo duvidoso”, disse Marco.