19.9 C
Vitória
sexta-feira, 27 maio 2022

Bandeira Pró-Vida é lançada para unir movimento global contra o aborto

Bandeira Pró-Vida é lançada para unificar movimento global contra o aborto (Foto: Divulgação Pro-Life Flay Project)

O design, da brasileira Nanda Gasperini, tem como objetivo conscientizar as pessoas, ao redor do mundo, sobre esse grave problema social

Por Patricia Scott

Grupo de ativistas que milita contra o aborto lançou a Bandeira Pró-Vida, no último final de semana, para ser o símbolo do movimento global contra o assassinato de bebês. A criação da marca tem como foco promover a conscientização do problema social ao redor do mundo. Somente no ano passado, o Sistema Único de Saúde (SUS) realizou quase 82 mil procedimentos após abortos malsucedidos. No mundo, mais de 42 milhões de abortos foram realizados, em 2020, segundo o Worldometer, site de referência que monitora as estatísticas sobre saúde a partir dos dados disponibilizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A instituição Pro-Life Flag Project realizou um concurso mundial com mil designers para selecionar o design da bandeira do movimento pró-vida. A vencedora é uma brasileira, a designer gráfica Nanda Gasperini. Ela utilizou listras rosa e azuis que se estendem horizontalmente no meio da bandeira com pés de bebê rosa e azul, rodeados pelas mãos da mãe, formando um círculo no centro.

O fundo branco, conforme informações do site Pro-Life Flag Project, “simboliza a não violência no útero e a inocência do nascituro. Os dois pés do bebê representam a humanidade do nascituro”. Os pés de bebê são um “símbolo associado ao movimento pró-vida desde que os icônicos broches de lapela da Precious Feet foram nomeados o símbolo internacional pró-vida em 1979”. E as duas mãos rosa representam a mãe grávida “segurando e protegendo o filho”.

O site Pro-Life Flag Project divulgou ainda que “o coração branco entre os pés simboliza o amor do movimento pró-vida pela mãe e seu filho. A forma circular formada pelas mãos evoca a imagem do estômago de uma mãe grávida, um lugar seguro, protegido e protegido para uma criança em desenvolvimento”.

Enquanto as listras rosa e azul no banner “enfatizam as duas vidas humanas distintas na gravidez”, elas também “formam um sinal de igual, enfatizando que o nascituro é igual e totalmente humano e, portanto, merecedor de direitos humanos iguais”, acrescenta o site.

A instituição acredita que “a bandeira pró-vida será um meio pelo qual os apoiadores pró-vida podem se solidarizar com o movimento pró-vida mais amplo”. O Pro-Life Flag Project possui a licença sobre o design da bandeira para garantir que “qualquer organização pró-vida sem fins lucrativos possa copiar, reproduzir, promover e vender livremente quaisquer produtos que contenham o design”. A organização espera que a bandeira seja exibida em “adesivos, camisetas, broches, bonés e mastros”, para que a causa seja divulgada.

Com informações Christian Post

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se