Síria: Líderes cristãos são mortos em ataques

Ataque com carro bomba no nordeste da Síria matou pelo menos 14 pessoas. Foto: Mustafá Bathi/ Anadolu Agency

Dois pastores, pai e filho, tiveram o carro alvejado por tiros na Síria. O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico. No último sábado (16), 19 pessoas morreram

Ao menos 19 pessoas, incluindo 13 civis, morreram neste sábado (16) em um atentado com carro-bomba na cidade de Al-Bab, nordeste da Síria. A informação é da ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

“A explosão aconteceu em um local em que se concentram táxis e ônibus na cidade de Al Bab”, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

De acordo com o balanço atualizado do OSDH, o atentado deixou 19 vítimas fatais e mais de 30 feridos, alguns em estado grave. O atentado não foi reivindicado até o momento.

Líderes cristãos mortos

Na semana passada, dois pastores foram mortos em um ataque reivindicado pelo Estado islâmico. O ataque foi na cidade síria de Qamishli, perto da fronteira com a Turquia.

Os pastores eram pai e filho. Hovsep Petoyan e Abraham Petoyan estavam indo visitar um local de reconstrução, quando o carro em que estavam foi atacado por homens armados em motocicletas em um bloqueio na estrada.

Hovsep Petoyan tinha apenas 40 anos e deixa viúva e três filhos
Crédito Arquivo Pessoal. Foto: Arquivo pessoal

O terceiro passageiro, um diácono, escapou com ferimentos leves. Hovsep Petoyan, tinha 40 anos e três filhos.

Era chefe da comunidade armênia em Qamishli. “Sua morte chocou todos os cristãos”, disse o pastor George Moushi, da Igreja da Aliança.

No mesmo dia do ataque aos pastores, três bombas explodiram na cidade, uma delas perto de uma igreja. Pelo menos cinco pessoas morreram.

E mais de 20 ficaram feridas, incluindo três cristãos sírios.

“Se as bombas explodissem um pouco mais tarde, uma delas teria causado um massacre porque era perto de uma escola para meninas que estava prestes a explodir. Eu assisti ao funeral e foi difícil para nós dizer adeus a um jovem pastor como Hovsep. Ele é um homem de Deus e é uma situação perigosa se eles começarem a atacar os homens de Deus”, disse Levon Yeghiayan, líder da Igreja Ortodoxa Armênia.

Ataques

Os ataques ocorrem um mês depois que o exército turco iniciou uma incursão em sua área de fronteira com a Síria para criar uma “zona segura”, afastando a aliança SDF liderada pelos curdos, que inclui o YPG, uma milícia que considera uma organização terrorista.

A intervenção em uma área relativamente estável criou um vácuo de segurança, forçando mais de 200 mil pessoas, muitas delas cristãs, a deixar suas casas.

Local onde os pastores foram mortos

*Da Redação, Com informações de Portas Abertas


leia mais

O avivamento do cristianismo na Síria
ONU faz alerta de catástrofe humanitária na Síria
Cristãos acolhem famílias sírias que fogem do Estado Islâmico