Ataques a cristãos crescem na Nigéria

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nas últimas semanas vemos o crescente aumento de violência contra cristãos na Nigéria. O Boko Haram, braço do Estado Islâmico no norte da África, assumiu dois grandes ataques

Um ataque terrorista aconteceu na noite do dia (24) deste mês, na vila cristã de Kwarangulum. Os extremistas invadiram a vila em caminhões, atirando em moradores, incendiando casas e saqueando alimentos. “Eles mataram sete pessoas e sequestraram uma adolescente no ataque”, disse um cristão local.

Dois dias depois, o mesmo grupo assumiu a morte de 11 cristãos que foi filmada e publicada na noite de Natal. A Comunhão apurou o acontecimento: “Estado Islâmico executa 11 cristãos na Nigéria”.

“A perseguição religiosa está mudando de cara com o passar dos dias. O cristão da Nigéria, já atingido pela perseguição, não tem liberdade para viver, adorar, possuir propriedades, ter cargos no governo, se candidatar a cargos públicos, frequentar escolas e se expressar”, declara Ibrahim, cristão perseguido na Nigéria, que esteve no Brasil em novembro, falando sobre seu testemunho.

Após um ataque do Boko Haram, teve sua casa saqueada e invadida pelo grupo e passou 2 anos em um campo de refugiados, sem poder voltar para sua vila. Ibrahim esteve no Brasil a convite da Portas Abertas, organização que apoia cristãos perseguidos no mundo.

Perseguição Religiosa na Nigéria

O país tem vivenciado um aumento diário de perseguição aos cristãos que vivem em comunidades de maioria muçulmana. O país está no 12º lugar Lista Mundial da Perseguição 2019, que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo.

De 4.305 cristãos mortos no mundo, no ano anterior, 3.731 foram na Nigéria. Além disso, os cristãos vivem em constante pressão e sofrem violência por parte de grupos extremistas islâmicos.

A perseguição de mulheres e meninas tem um efeito negativo nas igrejas e famílias cristãs. Além das consequências emocionais e o custo social da perseguição, em comunidades onde viúvas são as provedoras da família, o bem-estar social e econômico é afetado.

A violência contra os cristãos é provocada, principalmente, pelo grupo islâmico extremista Boko Haram e por pastores de cabras Fulanis, grupo étnico religioso que reclama as terras dos cristãos. Os grupos atacam frequentemente vilas e comunidades, invadindo casas, incendiando lojas de cristãos e igrejas cristãs, matando homens e sequestrando mulheres e meninas.

A Portas Abertas mantém duas campanhas de ajuda à Nigéria. Uma delas engloba três projetos: comida e itens básicos, Bíblias infantis, e cobertores e roupas. Os itens beneficiam famílias e crianças refugiadas, que tiveram suas casas invadidas. Outro projeto é a manutenção do Centro Shalom, para acompanhamento pós-trauma na Nigéria. Para maiores informações: ACESSE.


LEIA MAIS 

Shockwave: dois mil grupos de jovens em oração pela Nigéria 
Maior número de pessoas desaparecidas está na Nigéria 
Assassinatos a cristãos na Nigéria chegam a 800