24.9 C
Vitória
quinta-feira, 11 agosto 2022

Ataque russo mata 35 em base militar e leva guerra à fronteira da Polônia

Comunhao-soldado-ferido
Soldado é ferido em ataque contra base perto da fronteira com Ucrânia Foto: BBC News

O local era usado como centro de treinamento de soldados estrangeiros

A Rússia destruiu ontem, 13, a base ucraniana de Yavoriv, na região de Lviv, a 25 quilômetros da fronteira com a Polônia – um país-membro da Otan. Segundo autoridades locais, a ação matou 35 pessoas e deixou 134 feridos.

O local era usado como centro de treinamento de soldados estrangeiros. No sábado, a Rússia já havia ameaçado bombardear remessas de armas e mercenários que atuam dentro da Ucrânia.

O que preocupa, no entanto, é o fato de a guerra ter chegado tão próxima das fronteiras de um membro da Otan, ampliando o risco de a aliança atlântica se envolver diretamente no conflito – o Artigo 5.º da Carta da Otan fala que um ataque contra um aliado é considerado um ataque contra todos.

O Ministério da Defesa russo confirmou o ataque e disse ter matado 180 “mercenários estrangeiros” em Yavoriv e em outra instalação na cidade de Staritchi, também próxima à fronteira polonesa. “Até 180 mercenários e um grande número de armas estrangeiras foram eliminados”, disse o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov, acrescentando que as forças russas continuarão atacando esses alvos, considerados legítimos por Moscou.

A base de Yavoriv era um elo vital no fluxo de armas enviadas pelos países da Otan para a Ucrânia. A Polônia tem sido o principal ponto de passagem de carregamentos de armas, de refugiados que fogem para países da União Europeia e de estrangeiros que viajam para a Ucrânia para lutar ao lado do Exército local contra a Rússia.

Estrangeiros

“Infelizmente, perdemos heróis”, disse o governador de Lviv, Maksim Kozitski, em comunicado. O ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, confirmou que instrutores militares estrangeiros atuavam na base de Yavoriv.

De acordo com o New York Times, instrutores militares da Guarda Nacional da Flórida treinavam soldados ucranianos na base de Yavoriv. Eles deixaram a Ucrânia em fevereiro, por ordem do Pentágono, antes de a guerra começar. A Otan garantiu que não havia nenhuma equipe sua no local. Nas primeiras horas após o bombardeio, não havia informações sobre quantos soldados estavam na base e se havia estrangeiros entre as vítimas.

Com informações de Agência Estado

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se