Ataque à cristãos na Nigéria faz nove vítimas

Mulheres, crianças e idosos são os mais afetados em ataques extremistas na Nigéria. Foto: Portas Abertas

Grupos armados invadiram um vilarejo em Benue, na Nigéria, atirando em grupos que voltavam da igreja

Os ataques às comunidades na região do Cinturão Médio da Nigéria continuam. Mulheres, idosos e adolescentes estão entre as vítimas de um dos últimos incidentes. Em 17 de novembro, homens armados entraram em uma comunidade no estado de Benue. E mataram pelo menos nove pessoas, incluindo idosos, mulheres e adolescentes.

“As pessoas estavam voltando da igreja e se preparando para almoçar quando os homens armados, invadiram a vila em motos. Eles atiraram aleatoriamente e mataram qualquer pessoa que passasse pelo caminho, incluindo idosos que não podiam correr, mulheres e crianças”, disse uma fonte não identificada.

A identidade dos pistoleiros ainda não foi divulgada, mas a fonte sugeriu que pode ser qualquer grupo extremista que luta pelo poder na região.

Violência

A violência vem aumentando no Cinturão Médio da Nigéria nos últimos anos. A maioria dos ataques pode ser atribuída aos pastores de cabras Fulani e ao grupo extremista islâmico Boko Haram. Trata-se de uma região que divide o norte predominantemente muçulmano e os cristãos do sul.

Desde o início da insurgência do Boko Haram em 2009, pelo menos 35 mil pessoas foram mortas. Segundo relatório da Portas Abertas, entre janeiro de 2016 e outubro de 2018, pelo menos 3.500 morreram em ataques dos Fulani a comunidades de agricultores cristãos.

Cerca de 57% dessas mortes ocorreram apenas em 2018. E tornou a violência entre pastores e agricultores seis vezes mais mortal que a do Boko Haram naquele ano.

XX

A Nigéria é 12° país na Lista Mundial da Perseguição 2019, que classifica os 50 países que mais perseguem cristãos no mundo. As forças armadas da Nigéria estão sobrecarregadas, pois combatem várias insurgências.

O governo foi criticado por uma resposta inadequada que criou um vácuo que os grupos de milícias locais estão preenchendo. O que dificulta ainda mais aos cristãos, que é o grupo mais vulnerável no país.

Enquanto os grupos islâmicos atacam os cristãos por causa de sua fé, em outros casos eles são vítimas da luta entre milícias. O resultado, no entanto, é o mesmo.

Pesquisas realizadas pela Portas Abertas em 2017 mostraram que cristãos exaustos no nordeste da Nigéria precisavam de ajuda urgente para reconstruir suas vidas e aldeias destruídas. Eles enfrentam muitos obstáculos, incluindo traumas, casas destruídas, falta de água, insegurança alimentar, falta de educação e problemas na vida da igreja.

*Com informações de Portas Abertas


leia mais

Assassinatos a cristãos na Nigéria chegam a 800
Ataques na Nigéria – Igreja pede oração pelo país