28.3 C
Vitória
sábado, 5 dezembro 2020

Atacante brasileiro descreve clima em Wuhan, China

Leia também

Saúde necessita de investimento em governança de dados

"O País demanda urgentemente respostas e responsabilizações adequadas às empresas e órgãos que tratam dados pessoais sensíveis", afirma advogada Bianca Albuquerque

Operação Uruatu 2 faz buscas contra traficantes de animais

Segundo a PF, ao longo das investigações foram aprendidas centenas de animais silvestres no curso das investigações policiais

Governo anuncia operação de combate a crimes contra idosos

Após constatação de que o total de denúncias de crimes registrados por meio do Disque 100 aumentou durante a pandemia

Entre os atletas da equipe que regressaram às suas casas em Wuhan, na China, depois de 104 dias está o brasileiro Rafael Silva

Cidade onde começou a pandemia do novo coronavírus, Wuhan, na China, recebeu recentemente, com muita emoção, os jogadores e comissão técnica do Wuhan Zall, que disputa a divisão de elite do Campeonato Chinês. Entre os atletas da equipe que regressaram às suas casas depois de 104 dias está o brasileiro Rafael Silva.

Em entrevista ao Estado, o atacante, que tem passagem pelas categorias de base do Corinthians e foi revelado pelo Coritiba, contou o que sentiu ao retornar a Wuhan depois de mais de três meses. Os sentimentos foram contrastantes logo que desembarcou na estação de trem, onde torcedores esperavam o elenco com faixas. O técnico espanhol José González recebeu um buquê de flores de presente.

“Foi uma sensação estranha, mas ao mesmo tempo legal. Estávamos voltando para a cidade onde tudo começou. E o torcedor estava nos esperando na estação de trem. Mas é esquisito ver uma cidade tão movimentada com pouca gente na rua. Está tudo fechando cedo”, relatou.

A volta de Rafael e de todo o elenco para seus lares só foi possível porque a cidade de Wuhan, primeiro epicentro da doença no mundo, já saiu do confinamento a que foi sujeitada devido ao surto que rapidamente se propagou dando origem a uma pandemia reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Afastamento

Para se afastar da covid-19, o elenco do Wuhan Zall viajou em janeiro até Guangzou, a mais de mil quilômetros de distância. Depois, com o crescimento do surto no país, a equipe foi continuar sua pré-temporada na Espanha, em Sotogrande, próximo a Cádiz. Com o país europeu tomado pela doença – é, até hoje, o segundo do mundo com mais casos registrados – o time decidiu voltar à China para ficar em Shenzhen, onde a delegação permaneceu confinada em um hotel por duas semanas, cumprindo protocolo destinado a quem vinha do exterior.

“Fomos testados e ainda ficamos em quarentena. Fiquei num hotel por duas semanas aguardando o período estipulado pelos órgãos de saúde. Não podíamos sair do quarto. Recebíamos a alimentação ali Foi complicado, pois foram muitos dias de isolamento”, disse o atacante. O périplo só terminaria depois de 104 dias.

Capital da província de Hubei, a metrópole de 11 milhões de habitantes em que o jogador mora desde 2018 ficou isolada do resto da China de 23 de janeiro a 8 de abril. No total, Wuhan registrou mais de 67 mil casos da covid-19 dos quase 84 mil confirmados em todo o país asiático. Ainda que todos pacientes já tenham recebido alta e a província esteja livre do vírus, segundo declarou no final de abril o porta-voz da Comissão Nacional de Saúde da China, Mi Feng, a normalidade não se fixou e as pessoas continuam receosas e prevenidas.

“As coisas estão melhorando, vemos uma evolução em relação ao controle, mas ainda vemos todo mundo preocupado”, afirmou o jogador, que contou que todos os atletas são testados diariamente antes dos treinamentos. “O pessoal tira uma gotinha de sangue para fazer o teste. Tiram a temperatura também. Estamos seguindo todos os protocolos de higiene com álcool em gel em todos os lugares”.

Rotina

A rotina do atacante, que jogou no futebol suíço e japonês antes de aventurar na liga chinesa, ainda é restrita apenas às atividades essenciais. “Eu só vou para o treino e volto pra casa. Além disso, sair apenas para ir ao mercado”, afirmou.

O jogador revelou que o governo chinês monitora a população por meio de um sistema de QR Code que é capaz de identificar, por exemplo, quem cumpriu a quarentena e já foi testado.

Em que pese a retomada dos treinamentos, ainda não há uma definição quanto ao início do Campeonato Chinês. O torneio começaria no dia 22 de fevereiro, mas foi adiado indefinidamente assim que o contágio da doença se intensificou. Há a expectativa de que a bola comece a rolar no final de maio ou início de junho, embora nenhum prazo tenha sido estipulado pela federação local. O que o jogador sabe é que seu salário e o dos companheiros será reduzido em uma porcentagem ainda não revelada pelo clube.

“Estamos treinando e aguardando a definição de tudo. É difícil dizer com certeza quando tudo voltará ao normal, inclusive o esporte”, avaliou. Rafael Silva tem bons números com a camisa do Wuhan Zall. Marcou 31 gols em 38 partidas nas duas temporadas em solo chinês.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Parte dos pacotes com sementes contém praga inexistente

Outras 15 amostras continham gêneros que têm espécies quarentenárias ou espécies com potencial quarentenário

Reconhecimento facial para monitorar cristãos na China

Vigilância ao extremo na China! Na tentativa de controlar o avanço do cristianismo no país, governo investiu no reconhecimento facial nas igrejas para monitorar cristãos. Saiba mais!

China e a perseguição! Igrejas transformadas em centros culturais

Diversas igrejas chinesas têm sido fechadas para terem seus templos ou prédios transformados em locais de promoção do socialismo. Saiba mais!

O idioma chinês na grade escolar de Cuba

O chinês será ensinando a partir do próximo ano letivo, começando primeiro pelas escolas secundárias de Havana. Saiba mais!

Alfinetada de Pompeo à China: “ameça a liberdade religiosa”

Durante viagem asiática nesta quinta-feira, 29, chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, fez novo ataque à China. Saiba mai!

Quando Deus é a fonte do equilíbrio em campo e da força emocional

Sucesso na Liga dos Campeões da Europa, o goleiro Keylor Navas, 33 anos, dirige estudos bíblicos com um grupo de 10 pessoas em Paris.

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

Conferência Paixão pela Juventude 2020

Realizado pela Juventude Batista Brasileira, evento será online e acontece em duas datas. A primeira será neste sábado, 28, e a segunda, dia 5 de dezembro. Saiba mais!

Miniconferência on-line: “Fé e Ciência para Corpos e Mentes”

Cientistas cristãos brasileiros respondem questões de fé e ciência para corpos e mentes. Tema será abordado na mini Conferência online. Saiba mais!

Seminário de ciências bíblicas em edição virtual; começa hoje

Realizado há 20 anos pela Sociedade Bíblica do Brasil, evento incentiva o estudo e capacita líderes sobre o uso da Bíblia.

Grandes artistas do Brasil no “BH profetiza”

Realizado pela cantora Camila Campos, O BH profetiza vai reunir diversos cantores, entre eles Weslei Santos, Gai Sampaio, pastora Helena Tannure e outros. Evento será transmitido ao vivo, nesta terça-feira, 17 
- Publicidade -

Plugue-se

O versículo mais lido de 2020!

O versículo campeão de leitura em 2020 é baseado em Isaías 41:10: “Portanto, não temais, pois estou contigo..." Saiba mais!

Novo álbum musical do Missionário R. R. Soares

O álbum "Em O nome de Jesus", com 12  músicas inéditas, foi lançado depois de cinco anos. Primeiro single do projeto está disponível em todas as plataformas e Youtube

Wilson Witzel é batizado em igreja evangélica

O batismo ocorreu um dia antes de Witzel protocolar sua defesa no tribunal misto, que julga o processo de impeachment dele. Saiba mais!

3 palavrinhas é indicado ao premio Gerando Salvação

Na categoria “Projeto Infantil”, o 3 palavrinhas, que é considerado o maior canal infantil gospel do mundo, concorre ao lado de Aline Barros e outras estrelas do segmento. Saiba mais!