back to top
22.9 C
Vitória
quarta-feira, 29 maio 2024

Uma vida de louvor e adoração a Deus

“Todo crente em Jesus Cristo, assim como também todo judeu e toda a cristandade de qualquer tribo, raça, povo, nação, é chamado para louvar a Deus”

Ministro de louvor respeitado no Brasil e no exterior, com composições que se destacam no cenário da música cristã brasileira, o entrevistado desta edição compartilha importantes reflexões sobre o tema central deste mês

Em um mundo onde ressoam incontáveis melodias, o louvor se destaca de uma forma única, através dos séculos, como uma expressão de gratidão e reverência a Deus.

Louvar e adorar são práticas que frequentemente andam juntas e, por vezes, são até confundidas e vistas como uma coisa só. Mas o músico Asaph Borba, em entrevista exclusiva à revista Comunhão, evidencia como essas práticas diferem e entre si e apresenta o lugar de cada uma na vida da igreja e do crente.

Asaph Borba é um nome respeitado dentro e fora do Brasil.

Ao longo de sua trajetória, já compôs mais de 700 músicas cristãs e gravou cerca de 50 CDs. Seus hinos são conhecidos por gerações. “Jesus em Tua Presença”, “Alto Preço” e ‘Infinitamente Mais” são alguns exemplos. Além disso, ele também possui livros publicados sobre o tema, a saber: “Adoração: quando a fé se torna amor”; e “A história por trás da música: as histórias que deram origem às canções que marcaram a música cristã brasileira”.

- Continua após a publicidade -

Leia a entrevista na integra.

Comunhão: O que define uma música como louvor, o que o caracteriza?

Asaph Borba: Louvor quer dizer elogio, exaltação e engrandecimento a Deus. O louvor, se não for dirigido a Deus (Pai, Filho e Espírito Santo), não é louvor, é só elogio. Se não é definido para quem está indo essa gratidão, esse elogio, a música fica indefinida. Ela serve como música, mas não serve como louvor.

Existe uma separação entre louvor próprio para o culto e louvor que não é para o culto?

O louvor e a adoração visam a Deus. Há momentos no culto em que falamos uns aos outros, em canções como ‘Comunhão’, ‘Recebi um novo coração do Pai’, ou ‘Eu Sei que Foi Pago um Alto Preço’. A gente fala horizontalmente uns para os outros na igreja, destacando uma ênfase bíblica que é a unidade do Corpo de Cristo. Mas, mesmo assim, Jesus tem que ser engrandecido.

Toda música congregacional precisa ter certos elementos. Primeiro, ela tem que ser voltada para Deus, em toda a sua expressão, para a Trindade; deve ser bem definida. Segunda coisa: ela tem que ser bíblica. Terceiro, ela tem que ser simples, para que todos consigam cantar; precisa ser de fácil assimilação pelo povo de Deus. Essas três coisas definem o louvor congregacional.

Uma vida de louvor e adoração a Deus
“O coração de um adorador é totalmente do Senhor”

O chamado para o louvor enquanto talento específico de alguns é diferente do chamado ao louvor para toda a igreja?

Primeiramente, todo crente em Jesus Cristo, assim como também todo judeu e toda a cristandade de qualquer tribo, raça, povo, nação, é chamado para louvar a Deus. Ele quer que todos nós sejamos esses adoradores que adoram ao Pai em espírito e em verdade (João 4:23). Esses são os adoradores que o Pai procura: são pessoas que em espírito e em verdade estão adorando e louvando a Deus.

Mas podem existir, como eu sou, pessoas que Deus chama para serem colaboradores com o Espírito Santo neste mundo, para ajudar a igreja a alcançar isso. Então, há espaços para essas pessoas formarem, ensinarem, ajudarem a que esses verdadeiros adoradores consigam se expressar como Deus quer que eles se expressem.

Louvor e adoração são sinônimos? Se não, o que diferencia esses conceitos?

Existe uma separação determinante. O louvor é um elogio que tem que ser verbalizado. É algo que passa pela mente, pelo coração, pela boca. A adoração fala mais sobre uma maneira de viver diante de Deus. A adoração é tudo aquilo que nós fazemos em honra, em resposta ao amor e à graça de Deus na nossa vida. Então, a adoração é algo mais amplo; pode ser uma lágrima, pode ser um simples gemido diante de Deus; pode ser uma atitude que eu tomo, algo que eu faço para alguém e eu dedico aquilo como uma atitude de gratidão ao Senhor.

Portanto, o louvor fala mais de expressões, ele é parte da adoração. Mas quando o louvor para, a adoração continua. A adoração fala de vida, ela é um estilo de vida, não é uma maneira só de cantar ou de tocar. Cantar e tocar está dentro da adoração, mas ela é mais ampla, porque fala de toda a vida do adorador. Por isso que a adoração é em espírito e em verdade: é uma coisa que nasce dentro do coração em qualquer atitude, em qualquer expressão que um filho de Deus possa oferecer ao seu Deus.

Qual é a diferença entre hino, louvor e cântico?

A Bíblia, em Efésios 5:19, diz: “Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; ”. E em Colossenses 3:16 fala: “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração”.

Os salmos são os que nós já conhecemos. Os hinos são as canções que Deus vai dando no decorrer dos séculos para a Igreja, isto é: uma nova vertente que Deus derramou sobre a Igreja para compor hinos, o que é feito corriqueiramente. Eu componho pelo menos um por mês, no mínimo. E os cânticos espirituais são tudo aquilo que nasce no coração de qualquer pessoa, em qualquer lugar; é um cântico do seu espírito. Pode ser uma melodia, uma atitude, um “aleluia”, qualquer coisa que nasce no coração… esses são os cânticos espirituais, e eles podem se tornar melodia. Muitos dos meus cânticos espirituais se tornaram depois melodias, mas é uma coisa espontânea de cada pessoa para com Deus, do espírito de cada pessoa.

Como você descreve e que aspectos pode destacar da importância do louvor na igreja?

Se nós sabemos que há uma coisa que agrada a Deus, que o Pai procura, nós queremos fazer parte disso. Por isso que a igreja canta tanto, há séculos, há milênios. Ela canta porque sabe que isso agrada ao coração de Deus e isso desde a Igreja Primitiva, desde a vida apostólica, até Jesus cantou um hino. E depois veio pela história afora. Isso chegou até nós e agora toda uma geração de cristãos compõe e canta hinos de louvor e adoração a Deus.

No meu livro “Adoração – Quando a Fé se torna Amor”, pela editora Thomas Nelson, eu falo sobre o que a música promove: comunhão com Deus; comunhão entre as pessoas, porque nós cantamos juntos e temos comunhão uns com os outros; o aprendizado da Palavra de Deus. Quando nossa música, a minha e de outros irmãos, é bíblica, promove a fixação da Palavra de Deus na mente das pessoas.

A música é um instrumento poderoso contra o mundo espiritual, contra pandemônios, porque o diabo não pode ficar onde há louvor e adoração, Por fim, é um instrumento de edificação espiritual para a igreja.

Como teve início a sua experiência com o louvor e como é o seu processo de inspiração para compor hinos?

Minha experiência com Deus foi a minha grande inspiração, quando Deus transformou a minha vida completamente. Eu me converti e passei a amar Jesus de todo o meu coração. Isso começou a ser minha grande inspiração: proclamar Jesus, proclamar a obra da cruz. Eu fui lendo a Palavra de Deus e ela começou a ser essa inspiração do meu coração. Eu comecei a cantar textos da Palavra. E eu tive uma transformação pelo Espírito Santo muito forte na minha vida e o Espírito Santo me deu força, incentivo e inspiração para dar continuidade. Hoje são mais de 700 músicas, mais de 50 CDs gravados no meu ministério.

Recentemente, estava ministrando em um congresso e o Espírito Santo me inspirou um novo cântico, e assim por diante.

Por que Deus procura adoradores?

Eu gosto de citar um texto, em 2 Crônicas 16:9, que Deus procura adoradores porque o adorador é uma pessoa em que Deus encontra esse coração; o coração de um adorador é totalmente do Senhor. Então, que cada um dos leitores possa ter este coração, de adoração a Deus.

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Publicidade

Comunhão Digital

Publicidade

Fique por dentro

RÁDIO COMUNHÃO

VIDA E FAMÍLIA

- Publicidade -