É correto usar o termo “apóstolo”?

O “apóstolo” cumpre uma missão, submete-se à condição de servo de Cristo, caracterizava-se pelo serviço e obediência

A palavra “apóstolo” está muito em moda, particularmente utilizada por líderes que assim se intitulam. Não deveríamos nos surpreender com a popularidade do termo, até porque ele é bíblico, neotestamentário e de suma importância para entender os primeiros passos do Evangelho no mundo.

Um apóstolo, segundo o NT, é um seguidor de Jesus Cristo em Sua jornada terrena, testemunha ocular da Ressurreição, eleito por Ele mesmo para propagar esse fato como mensagem de salvação a toda criatura e em todos os recantos da terra (Atos 1:8).

Se alguém toma o termo “apóstolo” querendo assumir certo pé de igualdade e de autoridade ao nível dessas figuras bíblicas, que receberam a vocação de Jesus, acaba se desviando da melhor interpretação e entendimento das Escrituras. A palavra não vem do texto carregada de poder ou de autoridade, mas de humildade e de serviço.

O “apóstolo” cumpre uma missão, atende a uma ordem, submete-se à condição de servo de Cristo, caracterizava-se pelo serviço e obediência. Portanto, parece inadequada a utilização do termo como um título que remete à autoridade ministerial ou pastoral, com o intuito de qualificar alguém em posição hierárquica na igreja.

Se desejamos ser reconhecidos nos dias atuais como “apóstolos”, que sirvamos ao próximo e obedeçamos a Deus. Esse é o caminho do apostolado, hoje e sempre.

Foto: Reprodução

leia mais

O discipulado hoje