21.9 C
Vitória
segunda-feira, 21 junho 2021

Após nove mortos em igreja, Charleston passa por avivamento

Nove pessoas foram mortas a tiros na quarta-feira passada (17), durante uma reunião de oração na Igreja Metodista Africana Emanuel, em Charleston, Carolina do Sul, EUA.

Ao contrário do que aconteceu em outras cidades, onde brancos mataram negros recentemente, a população local não saiu pelas ruas saqueando nem protestando contra a polícia e o governo. Embora exista tristeza, ao que tudo indica, a fé a e gratidão são os sentimentos que predominam naquela cidade. No último sábado (20), por exemplo, uma multidão já percorria as ruas com cânticos evangélicos e muitas orações.

Numa reportagem do canal de TV CNN, foi mostrado que enquanto os parentes das vítimas estavam no tribunal perdoando o assassino, centenas de cristãos se reuniam na igreja para orar do lado de dentro e de fora.

O terrível crime, que segundo o assassino deveria iniciar uma “guerra racial”, acabou resultando em avivamento. As diversas igrejas de Charleston fizeram vigílias, vários cristãos de outras partes do país foram para lá e literalmente o final de semana foi um culto a Deus contínuo.

Centenas encheram os bancos da igreja Emanuel e quando o pastor Norvel Goff abriu o culto, deixou algo bem claro. “As portas da igreja ainda estão abertas. Nenhum malfeitor, nenhum demônio no inferno ou na Terra poderá fechar as portas da igreja de Deus. É pela fé que nós estamos aqui em pé e sentados”, desabafou Goff.

O pastor pregava enquanto parte da congregação se levantava e aplaudia. “Muita gente esperava que fossemos fazer algo estranho e causar um motim. Bem, eles simplesmente não nos conhecem. Mostramos ao mundo como nós podemos nos unir e orar e tratar o que precisa ser tratado”.

Do lado de fora do templo estava uma pequena multidão de brancos e negros ouvindo o culto por meio de alto-falantes, uma vez que a igreja estava lotada.

 

 

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se