28.8 C
Vitória
segunda-feira, 8 agosto 2022

Após alta hospitalar Bolsonaro critica “fundão eleitoral”

Bolsonara
Foto: Annie Zanetti/ TV Brasil

Ao deixar o hospital após tratamento de uma obstrução intestinal, presidente comentou sobre a aprovação da LDO e culpou deputado do amazonas pelo valor do fundo

Por Marlon Max

O Hospital Vila Nova Star, onde o presidente Jair Bolsonaro está internado, divulgou nota anunciando a alta do presidente. A nota é assinada pela equipe médica que acompanha o presidente desde o dia 14 de julho, quando foi internado.

O presidente estava internado para tratar de uma obstrução intestinal. De acordo com o comunicado, Bolsonaro seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente. Aparentando estar recuperado, Bolsonaro saiu do hospital em São Paulo e retornou à Brasília.

“O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, teve alta hoje do Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or. Ele estava internado desde a quarta-feira, 14 de julho, para tratar um quadro de suboclusão intestinal. Ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente”.

Nas rede sociais

Bolsonaro comemorou a volta para Brasília e nesta segunda-feira (19), já está de volta ao trabalho. O presidente deve se reunir com integrantes da base do governo no legislativo e com ministros. Durante entrevista na saída do hospital, Bolsonaro se pronunciou sobre a aprovação do aumento do chamado “fundão eleitoral”, que foi aprovado na semana passada triplicando o valor destinado aos partidos para campanha eleitoral.

O presidente disse que os parlamentares votaram com boa intenção, mas alguém alterou o documento e, nas palavras dele, “deixou uma casca de banana para os deputados derraparem”. E completou dizendo que agora que se descobriu a íntegra do projeto os parlamentares vão tentar reverter a situação.

“Os parlamentares aprovaram a LDO. É um documento enorme, com vários anexos. Tem muita coisa lá dentro. Muitos parlamentares tentaram destacar essa questão — Fundo Eleitoral. O responsável por aprovar isso é o Marcelo Ramos lá do Amazonas, viu presidente (Arhur Lira PP). Ele que fez isso tudo”, afirmou Bolsonaro. O projeto é passível de veto do presidente.

Com informações da Agência Brasil

Entre para nosso grupo do WhatsApp

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

Entre para nosso grupo do Telegram

Receba nossas últimas notícias em primeira mão.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se