21.9 C
Vitória
terça-feira, 21 setembro 2021

Após alta hospitalar Bolsonaro critica “fundão eleitoral”

Ao deixar o hospital após tratamento de uma obstrução intestinal, presidente comentou sobre a aprovação da LDO e culpou deputado do amazonas pelo valor do fundo

Por Marlon Max

O Hospital Vila Nova Star, onde o presidente Jair Bolsonaro está internado, divulgou nota anunciando a alta do presidente. A nota é assinada pela equipe médica que acompanha o presidente desde o dia 14 de julho, quando foi internado.

O presidente estava internado para tratar de uma obstrução intestinal. De acordo com o comunicado, Bolsonaro seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente. Aparentando estar recuperado, Bolsonaro saiu do hospital em São Paulo e retornou à Brasília.

“O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, teve alta hoje do Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or. Ele estava internado desde a quarta-feira, 14 de julho, para tratar um quadro de suboclusão intestinal. Ele seguirá com acompanhamento ambulatorial pela equipe médica assistente”.

Nas rede sociais

Bolsonaro comemorou a volta para Brasília e nesta segunda-feira (19), já está de volta ao trabalho. O presidente deve se reunir com integrantes da base do governo no legislativo e com ministros. Durante entrevista na saída do hospital, Bolsonaro se pronunciou sobre a aprovação do aumento do chamado “fundão eleitoral”, que foi aprovado na semana passada triplicando o valor destinado aos partidos para campanha eleitoral.

O presidente disse que os parlamentares votaram com boa intenção, mas alguém alterou o documento e, nas palavras dele, “deixou uma casca de banana para os deputados derraparem”. E completou dizendo que agora que se descobriu a íntegra do projeto os parlamentares vão tentar reverter a situação.

“Os parlamentares aprovaram a LDO. É um documento enorme, com vários anexos. Tem muita coisa lá dentro. Muitos parlamentares tentaram destacar essa questão — Fundo Eleitoral. O responsável por aprovar isso é o Marcelo Ramos lá do Amazonas, viu presidente (Arhur Lira PP). Ele que fez isso tudo”, afirmou Bolsonaro. O projeto é passível de veto do presidente.

Com informações da Agência Brasil

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se