27.1 C
Vitória
sexta-feira, 28 janeiro 2022

Apenas 9% dos jovens são ‘centrados na Bíblia’, revela pesquisa

Foto: unsplash

“Os millennials, por outro lado, são mais propensos a dizer que seu uso da Bíblia aumentou no ano passado (29%) em comparação com os adultos da Geração Z”

Por Marlon Max

Menos de 10% dos jovens da Geração Z dizem que estão comprometidos em ler a Bíblia regularmente, de acordo com uma pesquisa que fez parte de um relatório recém-lançado pela American Bible Society.

Em seu relatório “State of the Bible – USA 2021” divulgado na terça-feira, o ABS concluiu que a geração Z, definida como tendo entre 9 e 24 anos, tem uma “relação precária com a Bíblia”.

Os pesquisadores entrevistaram indivíduos de apenas 15 anos e dividiram a geração entre “jovens da Geração Z”, com idades entre 15 e 17 anos, para separá-los dos “adultos da Geração Z”, com idade entre 18 e 24 anos.

A ABS descobriu que apenas 9% dos jovens da Geração Z foram classificados como “Comprometidos com as Escrituras”, o que significa estar centrado na leitura da Bíblia.

Em comparação, 14% dos adultos da Geração Z e 23% da geração do milênio foram classificados como “Comprometidos com as Escrituras”. Além disso, 47% dos jovens da Geração Z foram rotulados como “Bíblia Desengajada”.

“Metade de todos os adultos americanos se qualificam como usuários da Bíblia hoje – aqueles que usam a Bíblia pelo menos três a quatro vezes por ano”, declarou o relatório.

“No entanto, apenas um terço dos jovens da Geração Z (34%) são Usuários da Bíblia, enquanto 43% dos adultos da Geração Z se qualificam. Em comparação com a geração Z, a geração do milênio tem uma porcentagem muito maior de usuários da Bíblia, se aproximando da média nacional (49%). ”

A ABS também descobriu que, durante a pandemia e protestos generalizados sobre a injustiça racial em 2020, os jovens da Geração Z eram os mais propensos a relatar uma diminuição na leitura da Bíblia.

“A turbulência de 2020 não gerou um maior uso da Bíblia entre os adolescentes. Os jovens da Geração Z (27%) têm mais probabilidade do que os adultos da Geração Z (19%) ou da geração do milênio (9%) de dizer que diminuíram o uso da Bíblia no ano passado ”, continuou o relatório.

“Os millennials, por outro lado, são mais propensos a dizer que seu uso da Bíblia aumentou no ano passado (29%) em comparação com os adultos da Geração Z (27%) e os jovens da Geração Z (21%).”

ABS extraiu de uma pesquisa conduzida de 4 a 29 de janeiro de uma amostra nacional representativa de 3.354 respostas de adultos com 18 anos ou mais, bem como 91 jovens de 15 a 17 anos, com uma margem de erro de +/− 1,692 por cento.

- Publicidade -

Matérias relacionadas

Comunhão Digital

- Publicidade -

Fique Por Dentro

- Publicidade -

Plugue-se